Surgimento de cobras cascavéis em Maragogi é investigado pelo IMA

Redação com Agência Alagoas / 6:41 - 10/11/2017

Situação foi antecipada pelo O DIA ALAGOAS há duas semanas


Em Alagoas, as cobras cascavéis ocorrem mais comumente nas regiões da caatinga e no agreste (Foto: Ascom IMA)

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL), junto com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), o Batalhão da Polícia Ambiental (BPA) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estiveram em Maragogi, nessa quinta-feira (9), para verificar denúncias sobre o aparecimento de cobras venenosas na região.

A situação foi denunciada em matéria de O DIA ALAGOAS, que relatou que pelo menos três pessoas já foram picadas por cobras cascáveis em dois povoados de Maragogi após uma criação irregular de cobras cascavéis foi “liberada” após uma fiscalização do IMA na cidade. Relembre o caso clicando aqui.

A fiscalização dos órgãos estaduais aconteceu na residência da pessoa denunciada. Entretanto, não foi identificada nenhuma cobra, nem indícios de criação dos animais em questão.

Diante disso, a Sesau organizou um ciclo de capacitação com os agentes de saúde do município, além de uma investigação junto às pessoas que foram acidentadas e a disponibilização de soro antiofídico no Hospital de Porto Calvo.

Segundo o gerente do setor de Fauna, Flora e Unidades de Conservação do IMA/AL, Epitácio Correia, a situação é incomum, porém não impossível de acontecer. “O aparecimento de uma quantidade significativa de cascavéis em um bioma que naturalmente não é o bioma de predileção da espécie não é comum. Isso é que está chamando a atenção”, diz.

Em Alagoas, as cobras cascavéis ocorrem mais comumente nas regiões da caatinga e no agreste. As investigações no município de Maragogi sobre o surgimento das cobras terão continuidade, junto com o Ibama, o BPA e em parceria com a Sesau, para que se possa encontrar uma solução para o problema.

 


Comentar usando