Servidores vão denunciar prefeito interino de Maribondo ao MP

Deraldo Francisco - Repórter / 5:11 - 02/10/2017


IMG_8791

Os servidores e diretores do Sindicato dos Servidores da Saúde se reuniram nesta manhã, no Salão Bom Pastor, em Maribondo. Inicialmente, estava prevista uma passeata saindo da Igreja Matriz até a Prefeitura.

No entanto, os servidores decidiram, na assembleia, adotar medidas menos extremas, para que a luta da categoria não seja confundida com algum tipo de manifestação político-partidária.

IMG_4782As denúncias se referem, basicamente a questões que envolvem a área de saúde no município. Entre elas estão: alimentação do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu); ponto eletrônico, uma vez que há o interesse pelo horário estendido; falta de material para trabalho nas unidades de saúde; alimentação no Centro de Saúde; liberação de protetor solar para os agentes de saúde e de endemias, bem como a questão salarial.

“Todos os servidores da Saúde estão com o salário de setembro em atraso. Mas há médicos que estão com mais de dois meses sem receber salário. Além disso, os motoristas que prestam serviço ao setor também estão sem receber dinheiro. Diante desse caos, resolvemos, em assembleia adotar as providências legais”, disse Ledja Costa.

Perseguição

Mas, antes de formalizar essas denúncias, a sindicalista vai ao MP denunciar o estado de perseguição que se instalou na administração do vice-prefeito no exercício do cargo, Sérgio Marques. “Estamos sendo perseguidos devido ao nosso posicionamento contrário à gestão. Esse é o nosso papel: lutar pelos servidores e deveremos estar tranquilos para manter a luta sindical e desempenhar nossas funções enquanto servidores”, justificou.

Em relação a atraso nos salários, o receio dos servidores é o fato de, no momento, haver saldo suficiente para a quitação dos vencimentos atrasados. Através do Portal da Transparência, os servidores foram informados da existência de mais de R$ 1 milhão nas cotas da Prefeitura.

O outro lado

Nesta segunda-feira, através de uma rede social onde assina “Serginho Marques”, o prefeito interino criticou as manifestações contrárias à sua administração. Ele disse ainda que “são matérias pagas” as notícias publicadas na imprensa alagoana, patrocinadas, segundo ele, pela oposição à sua gestão. Ainda no texto, o prefeito disse que já pagou a 90% dos servidores do município e que, até o próximo dia 10 – como lhe faculta a legislação – ele conclui a folha de pagamento de setembro.

Serginho Marques atribui o atraso no pagamento em dia à redução nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) devido à crise econômica instalada no País.

No entanto, a reportagem constatou que, em relação a setembro, houve um acrescimento de 10% nos repasses do FPM em relação ao valor esperado. Só a última parcela, repassada no último dia 30 de setembro, o aumento foi 34,42%. Para o mês de outubro, esse aumento será na ordem de 18%, conforme a Secretaria do Tesouro Nacional (STN).


Comentar usando