Sem dinheiro e tradição na F1, EUA têm GP questionado por Ecclestone

/ 11:31 - 29/12/2015


Na temporada 2015, o GP de Austin foi pautado pela péssima condição climática (foto: JEWEL SAMAD/AFP)
Na temporada 2015, o GP de Austin foi pautado pela péssima condição climática (foto: JEWEL SAMAD/AFP)

A falta de tradição dos Estados Unidos na Fórmula 1 não é segredo: é sabido que os norte-americanos preferem modalidades de corrida menos técnicas. A situação pode ficar ainda mais grave com a possibilidade da extinção do Grande Prêmio de Austin.

“É difícil fazer previsões. Eles sabiam exatamente o quanto isso custaria quando o contrato foi assinado. Eles sabiam que teriam que construir uma pista de corrida e qual era o custo de organização de um GP de Fórmula 1. Se não podem pagar, então temos um problema”, comentou Bernie Ecclestone, presidente da F1, ao Auto Motor und Sport.

A versão mais recente do calendário da Fórmula 1 para 2016 tratava a etapa de Austin, no Texas, como uma incógnita. O Grande Prêmio norte-americano até foi incluído na lista, mas veio acompanhado de um asterisco.

A indefinição se deve às autoridades locais: sem grandes investidores em um país que pouco valoriza a Fórmula 1, o governo do Texas eliminou 5 milhões de dólares (quase R$ 20 milhões) do orçamento disponível para a organização anual da prova.

 

Gazeta Esportiva


Comentar usando