Boa Noite!, Domingo - 20 de Maio de 2018

 

Seis erros fashions para parar de cometer agora

Steal the Look / Redação / 3:58 - 09/10/2017


Todas nós já abrimos o armário e ficamos longos minutos ali, paradas, com apenas uma frase ecoando em nossas cabeças: não tenho nada para vestir. Acredite, quando dizemos que esse dilema universal é fruto de uma série de erros sistêmicos que temos cometido desde sempre, erros que tornam nossos guarda-roupas muito menos proveitosos e produtivos. Mas não se preocupe, porque se acabamos de apresentar o problema, abaixo destrinchamos também as soluções para ele.

A seguir te mostramos não só os 6 erros fashion para deixar de cometer o quanto antes, como também sugestões para descomplicar o que diz respeito à moda dentro da sua vida e rotina. Vamos lá?

Arte: Madu Rodrigues / Estagiária

Arte: Madu Rodrigues / Estagiária

Que atire a primeira a pedra quem nunca comprou algo que nunca saiu do armário! Para que isso não aconteça mais, existem dois exercícios que podemos por em prática afim de diminuirmos as compras feitas por impulso e seus consequentes arrependimentos – que não são poucos, diga-se de passagem.

O primeiro deles é pensar em ao menos três combinações diferentes nas quais a peça desejada possa ser incluída e, a segunda, ponderar, refletir e até abrir o armário para checar com certeza se já não existe algo similar lá dentro. Só então deveríamos de fato realizar a compra.

Ah, vale se atentar a tudo isso sobretudo em épocas de sale, quando nos deixamos levar por um precinho reduzido na etiqueta e acabamos arrematando algo que nem sequer gostamos tanto assim, ou que nem mesmo é do nosso tamanho exato.

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Um armário extremamente lotado te trará só problemas. Calma, não estamos falando para você se desfazer daquela peça vintage herdada da sua avó, que você nem usa tanto assim, mas que possui um mega valor sentimental.

Estamos sugerindo que você doe para quem precisa, dê para uma amiga, ou até venda, se preferir, as roupas que não te servem mais, que não tem mais a ver com seu estilo ou que você até gosta, mas não usar há mais de um ano.

Acredite, desocupar espaço fará com que você enxergue melhor o que tem no guarda-roupa e, consequentemente, torne mais simples, rápida e gostosa a tarefa de escolher o que vestir.

Arte: Madu Rodrigues / Estagiária

Arte: Madu Rodrigues / Estagiária

Toda mulher tem ao menos um par de sapato que cause algum tipo de desconforto. É um dedinho encolhido aqui, uma bolha no calcanhar acolá e todas as dores do mundo quando os colocamos pra jogo – ossos do ofício. Que tal deixar todo o sofrimento do lado e começar a adotar duas práticas muito simples?

A primeira delas é entender o quanto você demandará dos seus pés naquele dia. Se a resposta for muito, o ideal seria que você escolhesse outro calçado. Mas se ainda assim você insistir que aquele par machuquento, especificamente, é o eleito do dia que tal adotar a segunda prática: reforçar os pontos de desconforto com microporos ou produtos específicos para isso. Sim, eles já existem e estão mais perto do que você imagina!

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Ser escrava do vaivém da moda não é  benéfico pra você, nem pro seu extrato bancário e muito menos para o planeta, que sofre brutalmente com esse consumo desenfreado. Ama uma peça que não está mais sob os holofotes? Continue usando-a sem medo algum! Inclusive, saber misturar peças de diferentes épocas e pegadas é, quase sempre, não só o que torna um look bacana, como também o que o salva do eixo fashion victim.

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Arte: Madu Rodrigues/Estagiária

Como acabamos de mencionar acima, nem só de tendências se vive. Mas só de peças clássicas também não! Extremismos não costumam funcionar bem quando a pauta é uma indústria tão cíclica quanto a moda. É necessário encontrar uma forma de equilíbrio entre esses dois pontos antagônicos e a melhor forma para tal é, claro, entender e conhecer seu próprio estilo, para então conquistar uma espécie de feeling que nos diz quando a nova trend do momento se encaixa bem com o que já temos no armário.

Arte: Madu Rodrigues / Estagiária

Algumas poucas e boas peças merecem, sim, um maior investimento. E como em qualquer outro tipo de despesa elevada, aqui também é necessário planejamento. O critério que deve justificar valores mais altos é sempre a versatilidade de um item, sua qualidade e sua atemporalidade. Em uma sociedade imediatista, pensar a longo prazo nem sempre é a mais fácil das tarefas, mas levar esses pontos em conta garante que as peças do seu armário sejam melhor aproveitadas, já que elas poderão durar por uma vida inteira de combinações.


Comentar usando