, Quarta-Feira - 19 de Setembro de 2018

 

Quando o sonho vira realidade no paraíso

/ 6:04 - 11/09/2018

Cada vez mais requisitados, profissionais que atuam no mercado de vip wedding services comemoram a forte tendência desse mercado


Arquipélago de Fernando de Noronha e Carneiros, Porto de Galinhas e Paiva, no litoral de Pernambuco; São Miguel dos Milagres, em Alagoas; e Trancoso, na Bahia, além de figurarem entre os principais e mais belos destinos turísticos do Brasil, ditam uma tendência de lugares escolhidos pelos amantes para o tão aguardado momento de pronunciar o “sim” definitivo de suas vidas. Junto com eles, além dos convidados, evidentemente, tem sido cada vez mais frequente a ida de especialistas que cuidam dos mínimos detalhes da cerimônia, da roupa à maquiagem e o penteado, passando pelos doces e bolo da festa.

Quem pensa em se casar e nunca sonhou com uma celebração em um paraíso aqui na Terra? De fato, alguns lugares paradisíacos são próprios para esse tipo de evento, porém, por estarem longe do domicílio dos noivos e de suas respectivas famílias, o controle sobre a situação é bem mais delicado. É aí que entram em cena os anjos da guarda profissionais. Ou, mais precisamente, os profissionais anjos da guarda.

07

No bairro de Piedade, município de Jaboatão dos Guararapes (PE), a fábrica de doces finos, bolos e lembrancinhas para eventos sociais Marly & Lucinha Cascão – Oficina do Açúcar mantém o aperfeiçoamento da tradição de mais de meio século da família, de origem portuguesa, nesse ramo de negócio. A empresa, que teve seu início propriamente dito há mais de meio século, transforma em realidade as receitas passadas de geração em geração.

Atualmente sob o comando da chef Lucinha Cascão, o ateliê é reconhecido em todo o Brasil por seus incríveis doces e bolos. O sabor e o requinte em doces finos diferenciados e nos mais variados estilos são a marca da qualidade da empresa. “Além do Recife, temos o mercado das praias daqui do Nordeste. Atuamos muito em Fernando de Noronha, Trancoso, Milagres. Fazemos muitos casamentos também em Maceió”, conta Lucinha Cascão, representante da quarta geração de uma família dedicada à cultura dos doces. “Como fornecemos muitos bolos de rolo, que são um patrimônio de Pernambuco, levamos para São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba. Enfim, fornecemos para o Brasil inteiro.”

Lucinha explica que o perfil mais comum de seu cliente é o de um consumidor que deseja tornar seu casamento mais íntimo. Geralmente, pessoas do Sudeste do País, de Brasília e do Recife. “Primeiramente, esse cliente quer fazer um casamento na praia. É o sonho. É um público diferenciado, que quer um casamento com um roteiro de charme”, constata.

25

É aí que entra a experiência de uma empresa como o ateliê comandado por Lucinha e sua mãe, Marly. “Para o casamento na praia, temos que ver o doce que resiste e o que não resiste. O chocolate, por exemplo, é muito sacrificado no calor, porque geralmente os casamentos na praia são na época do verão. Como aqui no ateliê temos 90 variedades de doces, é muito fácil para nós mostrarmos para o cliente quais resistem a esse momento”, explica. “Mas não deixamos de realizar o sonho do cliente. Se ele quer um doce de chocolate, tentamos nos adequar ao doce que resiste. Os brigadeiros costumam aguentar. O bolo geralmente é um naked cake, que é um bolo aberto, que não leva confeitaria. É muito usado nos casamentos nas praias, porque é mais leve, tem menos informação, uma riqueza de flores, de açúcar – que é uma tendência no nosso mercado. É muito interessante esse bolo para casamento na praia”, avalia.

De um modo geral, Lucinha define o evento na praia como um “casamento reformulado”. “Tem outra característica. Desde a vestimenta dos convidados e da própria noiva – que vai atrás de uma renascença, de um vestido mais à vontade –, o casamento na praia tem essa pegada, com outro estilo”, descreve.

 03

Para deixar qualquer um com água na boca, a cake designer fez algumas mudanças mesmo nos doces clássicos, aqueles que foram eternizados – como o supracitado brigadeiro, a uvinha, o bem-casado, o bombocado e o olho de sogra. “Damos uma repaginada neles, para que possam ir para a festa com outro perfil – mais bonito, mais antenado e diferente”, conta Lucinha. “Eu digo que botamos roupa para o doce para festa. Acho que realmente precisava dessa mudança. Hoje em dia as pessoas estão muito autênticas. Não se preocupam em fazer mais o casamento com as regras que têm que ser. Fazem-no com sentimento, com o que dá para fazer. A noiva de hoje em dia é madura, casa com mais idade, já tem sua profissão. Antigamente os casamentos eram feitos pelos pais – desde o enxoval, com aquela tradição. Hoje em dia, na maioria dos casamentos das famílias intermediárias, eles próprios (os noivos) pagam o casamento. Fazem uma coisa muito pé no chão. É uma coisa muito mais real. Eles entendem essa situação e pedem justamente o que os deixam felizes. Escutam, claro, a opinião das pessoas que têm o perfil de entender do mercado, como no meu caso. Aqui temos as indicações – quantos doces servem para uma mesa na praia; uma mesa que tem um design tapete, em que os doces são (dispostos) juntinhos, que precisa de mais doces. Então estou aqui para orientar a noiva nesse segmento todo. E temos fornecedores, parceiros e amigos para indicar e ajudar à noiva no que for preciso. Desde o chinelinho, até a iluminação, o decorador. Podemos ajudá-la no que ela precisar.”

A Marly & Lucinha Cascão – Oficina do Açúcar teve origem com a bisavó da cake designer, mas oficialmente foi fundada pela avó, em 1960. “A gastronomia cresceu nas últimas duas décadas. De dez anos para cá foi que aconteceu essa explosão. A globalização, a internet e as pesquisas chegaram muito mais perto de todos nós. Mas, mesmo com tudo isso, penso que o que deixa você antenado para coisas é estudar, pesquisar, fazer cursos. Faço cursos em Caruaru (PE), em cidades extremamente simples, assim como já fui para Dubai, China, Londres, Paris e vários lugares do mundo inteiro atrás de novidades. Morei na Bélgica 45 dias estudando o chocolate que dissolvo aqui no ateliê – que é o Barry Callebaut –, para poder entendê-lo, saber usá-lo de forma correta. É um mercado que realmente abre muitas portas.”

Com tamanha experiência, Lucinha transformou o ateliê em uma fábrica com 33 funcionários diretos. “Fazemos tudo aqui no ateliê com procedimentos. O mais difícil a Marly & Lucinha Cascão – Oficina do Açúcar já conseguiu: o reconhecimento do público. É uma grande alegria”, comemora.

Toque natural

Outros serviços bastante requisitados para os casamentos em paraísos naturais são os de maquiagem e cabeleireiro. Tanto que há profissionais que atendem mais a noivas fora de seu domicílio do que em seu próprio salão. É o caso de Erick Sgobe, empreendedor do Monde Design Urbain, que possui duas lojas na capital pernambucana, uma no shopping Paço Alfândega, no Bairro do Recife, e outra no bairro do Parnamirim, na Zona Norte da cidade.

“Hoje atuo, mais especificamente, nesse tipo de serviço do que no atendimento a cliente que vai casar aqui no Recife. A cliente que vai casar aqui no Recife geralmente ou faz no salão, ou faz no ambiente em que ela vai casar”, explica Erick. “A prática de o salão ter sala de noiva, sala de noivo, aquela estrutura em si, já é algo mais ultrapassado. Hoje, tanto a noiva quanto o noivo quer muito mais comodidade. Por isso que está tão em alta essa prática de o profissional ir até o encontro deles.”

Além dos noivos, a equipe do Monde Design Urbain atende madrinhas e familiares, como mães, avós, tias e primas, por exemplo. “Acaba concentrando em um só lugar o profissional atendendo a todo mundo”, conta o empreendedor. “O mercado de noiva funcionava muito assim: o salão oferecia um dia da noiva. A cliente ia para o salão onde tinha todo aquele espaço com ofurô, hidroginástica, banheira. Isso um hotel já oferece diante da expectativa da contratação. Levando o profissional para lá ganham o hotel e os noivos, porque evita atraso e o casal não tem que se deslocar de um lugar para outro. Torna-se um pouco mais caro para os noivos, mas, diante da comodidade, vale muito mais a pena. Antes o salão tinha que se reinventar a toda hora. E os hotéis estão sempre se requalificando.”

Essa mudança cultural acabou despertando um novo nicho de negócio para os profissionais de salão. Hoje existem pacotes com os hotéis e uma demanda turística para receber esse tipo de evento nesses locais. “Praias como as de Milagres (AL) e Carneiros (PE) têm um deslumbre natural muito grande. E a parte hoteleira está disponibilizando bem essa ferramenta, para conseguirmos atender à noiva no hotel”, afirma Erick. “Temos uma demanda de três a quatro casamentos por mês, contando os daqui do Recife com os de fora.”

Para o empreendedor, prestar esse tipo de serviço se tornou muito prazeroso. “Já temos o costume de trabalhar além do cliente do dia a dia. Passarela, por exemplo. É um dia bem gostoso de se trabalhar. Tanto para nós quanto para a noiva, saímos da zona de conforto, vamos para um outro ambiente, um outro local, aproveitamos tudo. É bem legal essa sensação de fazer fora, de sair do salão.”

No processo, os noivos contratam um profissional style, que vai criar o cabelo, e um profissional maquiador. “Eu nunca mando só cabeleiro ou só o maquiador para fazer os dois. Além de geralmente ser mais de uma pessoa para atender lá, então um profissional vai preparando, o outro vai dar um auxílio e vão trabalhando em equipe para funcionar e terminar no horário correto”, detalha Erick.

A noiva recebe o serviço de style para o cabelo – o look, o penteado – e o serviço de maquiagem. Já o noivo conta com corte de cabelo e barba e maquiagem. “Para ele é um trabalho mais sutil, principalmente quanto se tem um fotógrafo de qualidade, que requer uma pele legal para o casal.”

A execução, seguindo a tendência do segmento de beleza como um todo, parte para um cunho mais natural. “Os looks estão sendo mais meio soltos, meio presos; as peles são mais limpas – até mostra algumas imperfeições, mas que aquilo aponto como um look natural”, define. “Os cacheados, assessórios, isso ainda está extremamente em alta, mas tudo com muita sutileza, sem muita informação. Hoje o clássico se tornou natural. Perdeu aquela intensidade, aquele aspecto muito montado, para características que traduzam a naturalidade, com movimentos mais naturais, sem muito suporte e com a noiva tem para oferecer de belo, de natural.”

Uma característica que, no entanto, continua em vigor são as referências dos famosos, da alta classe, das novelas e da mídia em geral. “Ajuda muito a desenvolver disseminar novas tendências. Recentemente tivemos um caso que repercutiu muito, que foi o casamento da princesa Meghan Markle. Quem pôde prestar a atenção, viu que ela tem uma pele com sardas – e isso foi aproveitado. Não víamos muito brilho, mas algo mais acetinado. Tanto de maquiagem como de construção do look em si. O acessório foi mais ameno.”

O fato de o casamento ser um evento único, concentrado e específico. Segundo Erick, tem proporcionado o surgimento de mercados específicos para atender a esse tipo de cliente. Já existem, por exemplo, profissionais que só atendem a esse tipo de mercado, que estão fazendo o nome por meio desse segmento, só com penteado e maquiagem com essa finalidade. “É um segmento que só tende a crescer. Essa tendência do profissional livre, que atende ao cliente onde ele tem mais comodidade, é algo que só faz crescer. Se você é um profissional desenrolado, que sabe trabalhar direitinho isso dá muito certo. Se você é uma pessoa organizada, que tem um know-how muito legal, uma pessoa muito influenciada no meio, isso dá muito certo”, arremata.

Leveza e romantismo

Outro profissional bastante procurado no quesito casamento em locais paradisíacos é o estilista. E, para falar de design de roupas para esse tipo de ocasião – em especial, claro, o cobiçado vestido de noiva – é preciso falar em Melk Z-Da Artesanal Atelier.

Com sede no bairro de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, o ateliê do estilista Melk Z-Da tem como uma de suas especialidades a concepção de vestidos artesanais, experimentais e sob medida. Tanto que ele dedica espaços específicos na divulgação de seu trabalho na internet às noivas, no site melkzda.com.br/noivas e no blog noivazeda.blogspot.com. Foi assinado por Melk, por exemplo, o vestido da vereadora Marília Arraes, quando de seu casamento, há quatro anos, na Praia de Carneiros, com o também vereador Felipe Francismar.

Em suas coleções dedicadas às noivas que optam por casar na praia ou no campo ou na praia, o estilista leva em consideração dois fatores: leveza e romantismo. Suas criações para noivas seguem o mesmo estilo de sua marca, um trabalho artesanal e autoral que busca referências nas artes, vivências e pessoas, e que tem como essência o experimentalismo sofisticado.

Serviço:

Marly & Lucinha Cascão – Oficina do Açúcar – Rua Barão de Amaragi, 127, Piedade, Jaboatão dos Guararapes-PE. Fone: (81) 3461-9183.

Melk Z-Da Artesanal Atelier – Rua Jerônimo de Albuquerque, 66, Casa Forte, Recife-PE. Fone: (81) 3037-6461.

Monde Design Urbain – Shopping Paço Alfândega, Rua da Alfândega, 35, 1º Andar, loja 211, Recife do Recife, Recife-PE. Fone: (81) 3019-1208.

 


Comentar usando