PF prende bandido paulista que se passava por empresário em Maceió

Redação com assessoria / 8:35 - 07/12/2017

Líder do PCC, Erik Ferraz resistiu a prisão, trocou tiros com a polícia e acabou sendo morto


Um líder da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) foi morto na manhã desta quinta-feira (07) em Maceió, fruto da Operação Duas Faces, desencadeada pela Superintendência Regional da Polícia Federal Em Alagoas, com apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP).

A operação investiga a organização que criminosa e teve como alvo principal Erik da Silva Ferraz, foragido do sistema prisional do estado de São Paulo. Segundo a PF, o rapaz teria resistido à ordem de prisão, onde houve tiroteio no qual o investigado acabou sendo alvejado.  Ele foi socorrido e levado até o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu ao ferimentos e morreu.

Erik da Silva Ferraz, em imagens divulgadas pela PF

Erik da Silva Ferraz, em imagens divulgadas pela PF

c2cf927e-ffe3-42be-ad12-f7d742c1736c

Ainda de acordo com a PF, Erik assumiu a identidade falsa em nome de Bruno Augusto Ferreira Júnior, e vinha atuando como empresário em Maceió/AL. Perícias realizadas pela PF não deixaram dúvidas sobre o uso de identidade falsa pelo investigado, o qual residia em condomínio de alto padrão na capital alagoana, ostentando vasto patrimônio adquirido desde que passou a residir no município.

Diversos bens, como carros de luxo, embarcações e imóveis de alto padrão estão sendo objeto de sequestro e apreensão. Os presos e todo o material apreendido serão encaminhados à Superintendência da PF em Alagoas. Os investigados serão indiciados pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro, além de falsidade ideológica.

PF apreendeu 500 mil dólares em um dos imóveis de Erik Ferraz

PF apreendeu 500 mil dólares em um dos imóveis de Erik Ferraz

Foram cumpridos 9 mandados de Busca e Apreensão, 5 de Prisão Preventiva e 3 de Condução Coercitiva, expedidos pela 17ª Vara Criminal, a ação acontece entre Maceió e Barra de São Miguel.

A PF liberou outros vídeos da casa e da mobilização policial, confira:


Comentar usando