, Sábado - 19 de Janeiro de 2019

 

Paz nos Estádios reuniu mais de 200 pessoas no Centro de Convenções

/ 12:48 - 04/12/2018


Da redação com Ascom/CSA

O I Seminário de Torcidas Organizadas em Busca pela Paz nos Estádios reuniu mais de 200 pessoas ligadas ao futebol e entre os palestrantes contou com a presença do major Alexandre Vilariço Alves, da Polícia Militar de São Paulo, que atuou no jogo entre Corinthians e River Plate no Pacaembu, no dia 4 de maio, pela Taça Libertadores da América. O oficial e mais 18 policiais conseguiram conter e normalizar a revolta de torcedores, depois de o time paulista ter sofrido o gol que o desclassificou da competição, centenas de torcedores corintianos que furiosos partiram para cima do portão de acesso ao gramado e romperam as correntes.

Foto: Divulgação

Durante o evento se buscou encontrar soluções e estabelecer um plano de ação para modificar a atual realidade da violência nos estádios de futebol em Alagoas. A ideia foi de melhorar o comportamento dos torcedores e evitar tumultos. O debate aconteceu no na sexta-feira, dia 30, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso.

O evento foi considerado um marco na história recente do futebol alagoano por unir em uma só voz entidades ligadas ao esporte, órgãos públicos, a esfera judicial e torcedores, todos em busca de soluções que possam promover a paz.

O Seminário foi oficialmente aberto com as boas vindas dadas pelo presidente executivo do CSA, Rafael Tenório, e pelo vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Celyrio Adamastor, junto a promotora de justiça do Estado de Alagoas, Dra. Sandra Malta, e o promotor de justiça do Estado de São Paulo, Paulo Castilho, o primeiro palestrante do dia, com o tema “Violência nos estádios de futebol, no entorno e nos bairros”.

Após a palestra, o tema foi debatido entre os presentes na mesa, com a participação do presidente da Federação Alagoana de Futebol, Felipe Feijó, e os representantes da torcida Mancha Azul, Eduardo Alves, e da torcida Comando Alvirrubro, Alan Eudes.

Logo após o coffe break servido aos participantes, o major Alexandre Vilariço Alves palestrou sobre o “Plano de ação de segurança e contingências para a competição”, demostrando o modelo de trabalho desenvolvido no estado de São Paulo e a evolução deste trabalho ao longo dos anos. Os debates contaram novamente com a participação dos representantes das torcidas organizadas e do Capitão Hiraque Agnes, da Polícia Militar de Alagoas.

Encerrando o evento, o palestrante José Bispo Filho, idealizador do Seminário, mediou o debate promovido pelo especialista Danillo Della Justina, doutorando em Psicologia Social, que falou sobre o “Desenvolvimento de plano estratégico para diminuir a violência no futebol em Alagoas”.

Um dos temas debatidos durante o evento foi o cadastramento de membros de torcidas organizadas, sendo inclusive apresentado um modelo de sistema desenvolvido para esse cadastramento. Uma reunião entre a Federação Alagoana de Futebol e os representantes das torcidas deve acontecer na próxima semana para se desenvolver novas medidas sobre o tema.

Cerca de 200 pessoas participaram do evento, entre policiais militares, estudantes universitários, torcedores comuns e membros de torcidas organizadas. Um pontapé inicial na busca pela paz restabelecida nas praças esportivas do estado.

 


Comentar usando