Boa Tarde!, Quarta-Feira - 15 de Agosto de 2018

 

Páscoa mais doce para pequenos empreendedores

Erika Messias - Estagiária / 11:32 - 22/03/2018

Donas de casa e estudantes universitários estão fazendo da época uma maneira de faturar um ganho extra


3f82bc72-d089-4831-928b-7c38c43a9e52

As campanhas em redes sociais ajudam em pequenos negócios durante a Páscoa (Foto: Internet)

Ovos e outras gostosuras vindas do chocolate são sempre a sensação da Páscoa. A cada ano existem mais pessoas se aventurando nas cozinhas para ganhar uma renda extra ou mesmo sustentar a casa, diante da crise econômica que perdura. Porém, em 2018, outro reforço aos ovos de Páscoa caseiros está vindo das redes sociais, onde uma campanha informal está pedindo que as pessoas comprem de pequenos negócios ou empreendedores independentes, e não das famosas marcas comerciais em grandes supermercados.

É o caso de Luciana Soares, de 48 anos, que começou a trabalhar com chocolate logo após a festa de aniversário da neta Lavínia, em novembro do ano passado. Ela ajudou a filha na decoração de doces e, com isso, encantou os convidados e ganhou clientes. 

“Eu e minha filha assistimos vídeos para aprender a fazer decoração com chocolate, já que o tema era doceria. Então com a ajuda dela, eu fiz uns dez pirulitos de chocolate que foram muito elogiados por amigos da família e devorados pelas crianças da festa”, explica a mulher.

Com os elogios, Luciana recebeu diversas encomendas. Uma escola particular no Vergel, fez um pedido grande de ovos de Páscoa, que até então ela ainda não havia pensado em fazer. Então, com a ajuda de sua filha, Vanessa Soares, de 25 anos, ela resolveu abraçar a recém descoberta profissão.  

“Não imaginava que apenas pirulitos de chocolate iriam me levar para esse trabalho. Não pensei que iria receber logo de cara uma encomenda tão grande. No início fiquei com medo de não conseguir conciliar o tempo de fazer os ovos com o meu trabalho na minha avícola, mas com a ajuda de Vanessa consigo fazer os ovos”, conta, surpresa, a dona de casa. 

Vanessa foi quem insistiu para sua mãe aceitar a demanda de ovos e assim complementar a renda. “Ela tem esse comércio há 20 anos, mas não lucra muito porque tem que dividir o lucro com o rapaz que fornece as aves. Então quando recebi a ligação da diretora dessa escola achei legal para ela começar uma nova ocupação, que iria render um pouco mais de dinheiro”, planeja a filha.

Segundo Vanessa, além dessa encomenda, a mãe ainda faz ovos de colher no intervalo de tempo que ela tem entre os pedidos da escola. Mãe e filha vão levando a produção com alegria e esperança que o negócio perdure além da Páscoa.

Xerox e chocolate  

f1e3c130-0402-4c01-ba4f-83ea9940ecdf

Marina viu no chocolate um maneira de manter os estudos (Foto: Arquivo pessoal)

Quem nunca precisou fazer um dinheiro extra durante a faculdade? Foi utilizando suas habilidades com chocolate, que a estudante de psicologia Marina Freire, de 23 anos, decidiu que ovos de páscoa poderiam ajudar nos custos de a lguns materiais para estudo. 

Marina começou a fazer trabalhos com os doces no 2º ano de faculdade de Psicologia no Cesmac. Hoje, no 9° período, não pretende parar com suas produções. 

“Mesmo não tendo muito tempo entre os estudos e os ovos, eu gosto de trabalhar com isso, mesmo que no início tenha começado apenas para custear apostilas e palestras. No momento ainda não estou fazendo muitos ovos, mas vou continuar com as vendas até depois que terminar meu curso. Eu adoro mexer com chocolate e ver meus trabalhos finalizados com carinho”, fala.

Marina diz que com as encomendas, ela também ajuda nas contas de casa. “Eu faço estágio em uma escola municipal e junto com o dinheiro que ganho lá, ajudo meus pais com algumas contas. Foi exatamente para completar os gastos que eles têm com meu curso que resolvi tirar do chocolate uma nova fonte de renda”, explica.

Curiosidade por chocolate 

Com apenas 18 anos e uma forte curiosidade por novos tipos de trabalhos culinários, o estudante de Gastronomia Michel Duarte viu nos ovos de Páscoa não apenas uma maneira de engordar o salário, mas, sim, um jeito de aprender sobre sua futura profissão.

69be8b3c-5e15-48fc-8353-4f4a2931a93f

A curiosidade por culinária fez Michel gostar de trabalhar com chocolate ( Foto: Arquivo pessoal)

O jovem é empreendedor nato e junto com seu primo mantém uma hamburgueria e há um ano resolveu apostar na venda de ovos de colher. 

“Mesmo os ovos entrando na minha vida como uma renda extra, eu quis aprender mais sobre novos sabores, sem falar que amo cozinhar. Então quando resolvi procurar mais sobre esse mercado, investi em artes gráficas para as vendas e criei um cardápio próprio para os clientes escolherem os sabores”, revela.

Investindo na propaganda de seus trabalhos, Michel costuma fazer encomendas através das redes sociais. Seu sucesso com hambúrguer artesanal rendeu ao jovem uma boa clientela com suas criações de Páscoa. 

“Para quem conhece meu trabalho com a Alpha Burgers, foi fácil inserir os ovos na venda, e embora eu conte com a propaganda feita pela minha família e amigos, foi o boca a boca dos clientes da hamburgueria o pontapé inicial para tudo. Ano passado cheguei a vender cerca de 40 ovos. Atualmente, sei que a Páscoa para a indústria  está ruim, mas a procura por ovos caseiros está boa e minha expectativa é conseguir bem mais que ano passado”, aposta Michel.


Comentar usando