Na primavera, em Alagoas, “tudo são flores”

/ 9:55 - 21/09/2015


Diferente da Primavera Árabe, movimento que em 2010 sacudiu parte da África e o Oriente Médio com protestos em série, em alguns casos liderados por grupos extremistas, a primavera de 2015, no Brasil, também marcada por uma onda de manifestações encabeçadas por rebeldes sem causa movidos por um sentimento sem sentido, parece não ter afetado em nada o estado de Alagoas, que experimenta uma verdadeira primavera em que “tudo são flores”. Em meio à crise econômica nacional, o estado, indiferente às adversidades, vive um surto de bonança no setor produtivo com uma agenda pautada por fabulosos acontecimentos que chegam a causar a impressão de que essa crise sequer de longe passou por aqui. Até o decadente setor sucroenergético do estado surpreende com a reabertura da usina Uruba, que muitos postos de trabalho irá nos devolver. Outra boa nova, nesse cenário de reativação de empresas que haviam fechado suas portas, é a reativação da Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL), a antiga Camila, em Batalha. Na Agricultura, já testemunhamos a quase duplicação da produção de milho em relação à safra passada, além da introdução no estado de novas culturas agrícolas, a exemplo da soja e do eucalipto, produtos estes que aos poucos vão substituindo a cana de açúcar. Por fim, juntemos a tudo isso a potencialização da avicultura, que em pouco tempo tornará Alagoas auto-suficiente na produção de carne de frango e ovos, suprindo a demanda local por esses produtos, o que irá nos emancipar da dependência da carne de aves vinda de outros estados. Excelente, o momento por que passa a economia alagoana, dando ao resto do Brasil uma lição de enfrentamento e superação de crises.


Comentar usando