Boa Tarde!, Domingo - 21 de Outubro de 2018

 

Ministro da Justiça diz que criminalidade preocupa mais do que terrorismo

Da Redação com agências / 9:13 - 20/07/2016

Alexandre de Moraes afirma não considerar o terror a principal ameaça aos Jogos Olímpicos


A menos de três semanas da Olimpíada do Rio, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, diz não considerar o terror como a principal ameaça ao evento esportivo.

“A criminalidade preocupa mais que o terrorismo”, afirmou na noite da terça-feira (19) em seu gabinete.

Moraes também falou sobre a deportação na última sexta-feira (15) do físico franco-argelino Adlène Richeur, condenado na França por suspeitas de ligação com fundamentalistas religiosos. “Achei um absurdo o Brasil dar guarida e emprego para alguém que foi condenado, cumpriu pena e havia prova forte”, disse.

Alarme Falso

O governo francês informou ao Palácio do Planalto que um brasileiro não estava entre os membros do grupo extremista Estado Islâmico que estariam planejando atentado contra a delegação da França durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

A informação foi enviada nesta terça-feira (19) pelos franceses ao ministério da Defesa brasileiro. Após investigações conduzidas pelo governo francês, em parceria com órgãos de inteligência de diversos países, entre eles o Brasil, chegou-se à conclusão que a informação da presença de um brasileiro entre os suspeitos “é falsa”.

O “desmentido” foi comunicado ao presidente interino Michel Temer pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen. Segundo o Palácio do Planalto, o governo brasileiro não recebeu informações quando o assunto veio à tona justamente porque a informação não procede.

Relatório

“Em documento enviado hoje ao Ministério da Defesa, o diretor de Inteligência Militar da França explicou que a informação foi analisada pelas agências francesas, em cooperação com órgãos de inteligência de diversos países, inclusive do Brasil. A análise das pesquisas realizadas levou à conclusão de que a informação é falsa, razão pela qual o diretor não a transmitiu ao Ministério da Defesa brasileiro naquela ocasião”, informou o Planalto, por meio de nota.

Na semana passada, o jornal francês  Liberation divulgou um relatório da Comissão Parlamentar de Luta contra o Terrorismo que investiga os atentados de 2015 na França. De acordo com o documento, um membro do grupo terrorista estaria prestes a “cometer atentados contra a delegação francesa nos jogos”.

Nessa segunda-feira (18), o governo brasileiro enviou uma delegação da Abin à França depois do ataque em Nice, onde 84 pessoas morreram após um caminhão avançar sobre a multidão que comemorava o feriado da Queda da Bastilha.


Comentar usando