, Quarta-Feira - 19 de Setembro de 2018

 

Jatiúca: mancha escura volta a aparecer na orla de Maceió

Da redação / 11:02 - 18/12/2015


Em maio desse ano, população flagrou uma enorme mancha escura nas águas que banham a praia de Jatiúca e também em Riacho Doce. Nas duas ocasiões, as manchas foram percebidas por moradores da região.

Na manhã de hoje (18) após algumas chuvas em Maceió, a mancha volta a aparecer em Jatiúca. Os técnicos da Sempma (Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente) já se deslocaram para o local e vão coletar amostras da água para saber sua origem.

A equipe irá utilizar um robô denominado de “tatuzinho”, um equipamento capaz de entrar em galerias de águas pluviais para detectar, além da presença de efluentes, danos estruturais. As imagens vão registrar de onde realmente está saindo essa poluição.

Nas primeiras duas ocasiões citadas anteriormente, no início desse ano, um laudo da Polícia Federal concluiu que fezes e esgoto estavam sendo despejados na orla da Jatiúca. Segundo as investigações da época, foi registrado que as águas possuíam coliformes fecais, com índice aumentado quando a polícia investigou nas galerias de esgoto. Além disso, também foi encontrado fezes humanas e papeis higiênicos.

A Prefeitura de Maceió, em agosto desse ano, disse que não restavam dúvidas de que esse crime ambiental tinha como culpada a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

O caso de hoje não é o primeiro e talvez não seja o último se o poder público não conseguir obter respostas para reverter esse quadro. Quem sofre com essa poluição é o meio ambiente, já destruído diariamente e também, a própria população, que corre risco de saúde quando entra em contato com essas águas poluídas.

Prova disso foi a balneabilidade das praias de Maceió ser a pior em 10 anos, segundo estudo realizado pela Universidade Federal de Alagoas, através do Centro de Tecnologia. A pesquisa registrou trechos que iam da Praia da Avenida poluída há anos pelo Riacho Salgadinho) até Cruz das Almas e o levantamento foi baseado pelas análises do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

c193b2bc-1206-46d7-8938-c08590783e59

(Foto: internauta)

 


Comentar usando