Boa Tarde!, Sexta-Feira - 25 de Maio de 2018

 

Gás natural é alternativa a preços altos do gás de cozinha em Alagoas

Agência Alagoas / 9:14 - 08/12/2017

Aumento de 62,9% do preço do botijão de gás leva o consumidor a procurar por opções mais econômicas


Após o recente anúncio do aumento de 62,9% do preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), também conhecido como gás de botijão, a procura por alternativas de fontes de energia econômicas e eficientes tende a aumentar em Alagoas. Com o reajuste, um botijão chega a custar R$ 92,00.

Nesse contexto, o gás natural fica ainda mais vantajoso para os lares e comércios do Estado. Segundo a distribuidora alagoana de gás natural, a Algás, além da economia, o gás natural canalizado é mais eficiente, porque pode ser aproveitado em diversas aplicações. No setor residencial, por exemplo, sua utilização vai desde a cozinha até o aquecimento de água em chuveiros e piscinas.

Para o gerente comercial da Algás, Fabio Sousa, quando o assunto é eficiência energética, ‘a chama azul, firme e constante, produzida pelo gás natural, permite o preparo de alimentos em menor tempo”.

Outra vantagem é o fornecimento contínuo e canalizado do combustível que elimina a necessidade das centrais de gás ou de espaços para armazenamento de botijões GLP, permitindo o reaproveitamento das áreas de convivência dos condomínios.

“Conforto, modernidade, eficiência e, nestes tempos, economia são algumas das características que fazem do gás natural um atrativo e estimulam a migração do botijão para o gás canalizado. Essa já é uma realidade em mais de 46 mil unidades residenciais em Maceió”, informa o gerente.

Os consumidores interessados na instalação do gás natural residencial podem entrar em contato com uma prestadora de serviços de rede interna de gás canalizado registradam no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), segundo indicação da própria Algás.

A Distribuidora afirma também que seus engenheiros estão disponíveis para colaborar na elaboração de projetos de instalação através do número 117, com ligação gratuita.


Comentar usando