Boa Tarde!, Sábado - 23 de Junho de 2018

 

Feira do Peixe Vivo movimenta Mercado Público de Marechal Deodoro

Assessoria / 4:14 - 06/06/2018

Dezenas de deodorenses acordaram cedo para comprar peixe fresco na manhã desta quarta-feira (06)


Feira do peixe vivo busca garantir a comercialização do pescado produzido em alagoas  (Foto: Assessoria)

Feira do peixe vivo busca garantir a comercialização do pescado produzido em alagoas (Foto: Assessoria)

Dezenas de deodorenses acordaram logo cedo para comprar peixes frescos na segunda edição do Peixe Vivo, realizada na manhã desta quarta-feira (06) no Mercado Público de Marechal Deodoro. A realização da feira é uma parceria entre a Prefeitura de Marechal Deodoro, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Saneamento, Agricultura, Pesca e Aquicultura, e a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri).

Ao todo, foram disponibilizado 500kg de tilápias cinza e vermelhas, vendidas a preço de custo. Após realizar a compra, o cliente já tinha a opção de tratar o peixe no local e levar limpo para casa.
De acordo com responsável pelo setor de Agricultura, Pesca e Aquicultura da Secretaria de Meio Ambiente, Sérgio Tenório, a pretensão da prefeitura é que nas próximas edições da feira sejam vendidos os peixes dos produtores deodorenses.
“Nesta edição os peixes vieram de produtores de Junqueiro, mas queremos que nas próximas feiras sejam vendidos os peixes dos produtores de Marechal, que estão recebendo os alevinos de tilápia. Após o período de engorda, eles estarão prontos para serem vendidos e, assim, movimentar a economia aqui do município. Agradecemos a parceria da Seagri, que sempre está junto conosco nos projetos e realização da feira”, disse Sérgio.
Luciano Barros, superintendente de Aquicultura da Seagri, destaca que a Feira do Peixe Vivo tem como objetivo incentivar a comercialização e consumo do pescado que vem sendo produzido em Alagoas.
“A vantagem é que os consumidores têm um produto com preço acessível, e o pescado é tratado no próprio local da comercialização”, explica Luciano Barros.

 


Comentar usando