, Terça-Feira - 13 de Novembro de 2018

 

Estudantes recebem medalhas da Olimpíada Brasileira de Matemática

Assessoria / 9:14 - 12/08/2016


Alunos, professores e gestores de escolas da rede pública de Alagoas receberam ontem (11), da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) as premiações da edição 2015 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

Durante a solenidade, realizada no Palácio República dos Palmares, no centro de Maceió, foram entregues 65 medalhas, sendo 62 de bronze e 3 de prata, kits de matemática para as escolas destaques, premiações para diretores e professores, além de 406 menções honrosas.

De acordo com o coordenador da OBMEP no Estado e professor da Ufal, Adelailson Peixoto, o número de premiados é o maior desde 2010. “Um estudo mostra que as olimpíadas de matemática são importantes para o desenvolvimento do Estado, e refletem diretamente no crescimento do Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica]”, explica Peixoto.

O coordenador explicou ainda que todos medalhistas recebem bolsas de iniciação científica e formações pela Ufal, nos campi Maceió e Arapiraca. “Temos ainda sete medalhistas de edições anteriores, que são estudantes universitários e que recebem bolsas de pesquisa”, comenta.

A secretária executiva da Educação, Laura Souza, destaca que a parceria entre Seduc e Ufal está ofertando melhorias para professores e alunos das redes de ensino. “Temos alunos das redes municipal, estadual e federal sendo premiados. No âmbito estadual, tivemos 14 medalhistas em 2015, e esse é um número muito significativo, visto que se trata de uma competição muito concorrida”, explica a secretária Laura Souza, que ainda apontou outros dois benefícios da OBMEP para alunos e professores. “Além de proporcionar formação para os professores, a Olimpíada propicia um primeiro contato do estudante da Educação Básica com a universidade”, observa.

Premiados

Maria Albertino Gameleira, diretora da Escola Estadual Professora Maria Avelina do Carmo, em Traipu, foi uma das premiadas durante o evento. Ela relata que o estímulo começa em sala de aula, por parte dos professores, mas que tem a sorte de ter alunos dedicados e talentosos.

“É o terceiro ano consecutivo que nós somos destaque na OBMEP. As premiações são materiais que ajudam no aprendizado dos alunos. Vamos dar continuidade ao trabalho para conseguir uma medalha de ouro”, conta Maria.

A aluna do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), campus Marechal Deodoro, Yasmim Costa, de 15 anos, foi medalha de bronze em 2015. À época que participou das olimpíadas, ela estudava na Escola Municipal Dona Maria Araújo Lobo. “Estou muito feliz. Estudei e me dediquei bastante, além de ter sempre o apoio por parte dos professores. Vou continuar participando das competições e espero estar sempre melhorando”, diz Yasmin.

Coral

Além da premiação dos medalhistas, uma das atrações do evento foi a apresentação do coral Tom Jovem, da Escola Estadual Moreira e Silva. Na ocasião, eles apresentaram músicas como Filhote de filhote, dos irmãos compositores Gabriel e Paul Garfunkel, e Ponta de lápis, do compositor alagoano Roberto Barbosa, arrancando aplausos do público presente.


Comentar usando