, Domingo - 22 de Julho de 2018

 

Especialista dá dicas para se proteger das Fake News

Assessoria / 10:15 - 01/04/2018

“Boatos” existem desde antes TV ou internet, mas velocidade com que se alastram com as redes sociais causam impactos às vezes irreversíveis


Nem altos membros do judiciário brasileiro estão imunes às chamadas Fake News – notícias falsas que são compartilhadas pelas redes sociais.

O fato é que esse tipo de boato não é novidade e existia até quando não tínhamos televisão ou internet, mas agora com as redes sociais elas ganharam uma ampliação natural maior e consequentemente um impacto maior na sociedade.

Para o especialista em novas tecnologias da comunicação Armindo Ferreira, não adianta esperar que as próprias redes sociais criem ferramentas de filtro ou de denúncia. É necessário que cada pessoa entenda o impacto que uma notícia falsa pode trazer para a sociedade.

“O usuário final é o elo mais fraco dessa cadeia. É por isso que hackers atacam o usuário do home banking e não a instituição financeira. Essa mesma lógica se aplica às notícias falsas”, explica Ferreira, que atua há mais de 15 anos no ambiente digital e é considerado um dos 30 maiores influenciadores digitais do país.

Para proteger mais essa ponta da cadeia da notícia ele deu algumas dicas que todo mundo pode usar antes de compartilhar uma notícia.

  • Qual é a reputação da fonte da notícia? Ela é mesmo confiável? Tem CNPJ ou jornalista responsável pelo conteúdo?
  • Trata-se de um artigo opinativo ou de uma matéria jornalística que ouviu todos os lados e oferece as fontes da informação com links para que você possa consultar?
  • Aquela informação é passível de discussão jurídica? Pode caluniar ou difamar alguém? Lembre-se que você pode sim ser processado na justiça por uma notícia falsa compartilhada mesmo que não seja você o autor dela. O simples fato de compartilhar uma calúnia pode te causar problemas jurídicos.
  • Desconfie de notícias que vem com fontes de nomes como renomados médicos ou especialistas. Pesquise na internet se esses especialistas existem mesmo e se são referências em seu setor.
  • Notícias que vem com reforços para você compartilhar nas redes sociais também são suspeitas. Isso porque o autor da Fake News quer fazer com que mais pessoas leiam aquela mentira.
  • Pesquise em mais de uma fonte, veja se grandes veículos de comunicação repercutiram aquela história e principalmente busque o contraditório, ou seja, pessoas que publicaram aquele mesmo conteúdo, mas sob uma ótica diferente.
  • Respira antes de compartilhar: a notícia não precisa ser compartilhada naquele segundo. Reflita sobre a real importância daquilo e principalmente qual impacto aquilo pode trazer. Crie a sua opinião e ponto de vista e não deixe que criem isso por você.

“No final das contas a melhor ferramenta para combater as Fake News é a própria internet”, finaliza Armindo.

 


Comentar usando