Dores que afastam: doenças reumatológicas intensificadas no trabalho

Márcio Anastacio / 2:00 - 15/09/2017


 

 

reumatismo_tratamento

A rotina de trabalho e a vida em sociedade exigem muito do corpo e da mente. No meio desse caminho, algumas pessoas desenvolvem doenças crônicas e por conta de atividades laborais extremas, agravam o seu quadro ainda mais. No Brasil, um conjunto de enfermidades tem aparecido como uma dos principais causas de afastamento de trabalho: as doenças reumáticas.

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem com doenças de origem reumática. O sintoma predominante deste grupo, que engloba mais de 100 enfermidades, é a dor. Para minimizá-las existe tratamento. A desinformação sobre o tema impõem, para muitos, danos irreversíveis.

A reportagem de O Dia Mais ouviu especialistas e pacientes. Consultamos estatísticas oficiais e circulamos pelos consultórios, hospitais e laboratórios mais movimentados da capital alagoana, Maceió, para desvendar a realidade local sobre o afastamento de trabalho motivado por doenças reumáticas.

Segundo o Ministério de Trabalho, dorsalgia (dor nas costas) é principal motivo de afastamento dos locais de trabalho. Veja:

WhatsApp Image 2017-09-14 at 15.18.55

 

Nesta expedição, encontramos casos que reafirmaram as estatísticas oficiais e tomamos por concreta a palavra de quem vive o dia a dia do atendimento, diagnóstico e tratamento de doenças reumáticas. Nesses espaços, as dores na região lombar são as que mais levam as pessoas aos consultórios médicos, confirmando os dados oficiais.

 

“Nos consultórios reumatológicos, 75% dos casos atendidos é por dor lombar”, Dr. Diogo Lucas Pereira

Segundo o membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Dr. Diogo Lucas Pereira, as doenças mais atendidas nos consultórios são aquelas que podem ser agravadas por atividades laborais. “As principais queixas que nós ouvimos nos nossos consultórios médicos, são de dores localizadas na região lombar e de partes moles como tendinites bursites”, explica.

Confirma as entrevista na íntegra com Dr. Diogo Lucas Pereira, reumatologista do Hospital Arthur Ramos e do Sistema Único de Saúde (SUS), sobre os principais casos atendidos por reumatologistas em Alagoas:

DORES NAS COSTAS PRECISAM SER TRATADAS POR UM REUMATOLOGISTA

Quem nunca perdeu tempo indo a um especialista errado para tratar alguma dor? Isso acontece com muitos pacientes. De acordo com Sociedade Brasileira de Reumatologia, é para o consultório de um reumatologista que você deve ser encaminhado quando a sua dor nas costas for de origem inflamatória e quando o caso for de distúrbios que afetam as articulações, ossos e músculos.

Ele pode organizar testes diagnósticos e iniciá-lo em um tratamento, dependendo da causa da sua dor nas costas.

Fisioterapeuta trata dor lombar. Foto: Jessyka Soares

Fisioterapeuta trata dor lombar. Foto: Jessyka Soares

Foi o que aconteceu com a servidora pública *Clara Soares, 28 anos, que após transitar por outros especialistas, encontrou o tratamento correto com um reumatologista. “ Eu já tinha passado por dois especialistas e ninguém descobria a motivo de tanta dor, até eu cair no reumatologista”, disse gerente de processos.

“O médico me falou, e eu tenho certeza que se eu tivesse procurado o especialista certo antes, o meu processo inflamatório não teria desenvolvido tanto a ponto de eu ter que me afastar do trabalho, o que pra mim é mais doloroso do que o tratamento”, revela Clara.

WhatsApp Image 2017-09-14 at 15.18.49

 

Segundo o médico reumatologista Dr. Diogo Lucas Pereira, as dores nas costas, principalmente as mais localizadas na região lombar, são verificadas em pessoas que trabalham durante o maior período de tempo sentadas como: bancários, servidores públicos, rodoviários e outros.

A servidora pública Clara Soares, de 26 anos, como milhares de profissionais espalhadas pelo Brasil, foi afastada das atividades no trabalho e segue recebendo auxilio do INSS. Também ficou afastada do seu convívio social com os colegas e durante a entrevista destacou os prejuízos profissionais que o distanciamento do ambiente profissional poderia causar futuramente.

DIAGNÓSTICOS POR IMAGEM AUXILIAM REUMATOLOGISTAS A INDICAREM TRATAMENTO CORRETO

No caminho percorrido até descobrir o melhor tratamento para uma doença, os médicos quase sempre fazem uso da radiologia. Os exames com ressonância magnética são os mais solicitados pelos reumatologistas quando eles querem descobrir as causas de dores osteomusculares.

WhatsApp Image 2017-09-14 at 14.27.44

Em um dos laboratórios mais movimentados de Alagoas, o médico radiologista Dr. Thiago Costa, revela que há uma grande demanda de exames para diagnosticar doenças reumatológicas. “Por ser uma das maiores causas de afastamento de trabalho, há um grande fluxo de exames para diagnosticar corretamente problemas na região dorsal e nos punhos”, conta.

 

Mas se a solicitação de exame não for correta, o diagnóstico também será falho. A vendedora Cladiciomaria explica que fez vários exames até descobrir o que, especificamente, tanto a incomodava. “O ortopedista me disse que era uma doença de idoso. Fez raio X, não deu nada, fez ultrassom, não deu nada. Só após o reumatologista pedir uma eletroneuromiografia foi que acusou”, explica.

 

 

 

Em um dos laboratórios de Maceió, médico radiologista revela a demanda de exames para diagnosticar doenças reumáticas. Clique e confira:

 

LESÃO NAS ARTICULAÇÕES  DO PUNHO AFASTA VENDEDORA HÁ SEIS ANOS DO  TRABALHO

A vendedora Cladiciomaria Monteiro, 39 anos, não podia imaginar que o esforço feito no trabalho, poderia intensificar o seu processo inflamatório no punho. Ao passar pelo reumatologista foi logo encaminhada para a cirurgia e há seis anos faz fisioterapia pelo menos duas vezes por semana.

WhatsApp Image 2017-09-14 at 14.47.19

Cladiciomaria Monteiro faz fisioterapia há 6 anos e revela não ter mais força nos punhos. Foto: Márcio Anastacio

 

Após desempenhar a atividade de vendedora no Ceasa/AL durante pouco mais de um ano, Cladiciomaria começou a sentir fortes dores nos punhos. Ela manuseava sacos de até 50 kg com frutas e verduras no meio da sua jornada de trabalho.

A profissional do varejo acredita que se tivesse sido orientada no trabalho com ginástica laboral e fortalecimento de punho, o seu quadro não teria chegado ao ponto dela perder quase todas as forças nas mãos.

Confira o relato da vendedora em áudio:

 

FIBROMIALGIA FAZ LADY GAGA CANCELAR MEGA SHOW NO ROCK IN RIO

A fibromialgia afastou a cantora norte americana, Lady Gaga, 31 anos, de um dos maiores eventos do mundo, o Rock In Rio. O cancelamento do show foi anunciado um dia antes da sua apresentação. A notícia pegou de surpresa milhares de fãs que esperavam por ela na capital do Rio de Janeiro. O caso chamou atenção para a doença reumática e levou ao conhecimento do grande público informações sobre causas e tratamento.

Lady Gaga já tinha levado ao conhecimento do público que sofria de dores crônicas, mas só na última quarta-feira (13), revelou o nome da doença: a fibromialgia. Durante uma coletiva de imprensa em Toronto, a artista disse que “sua dor era dura, mas libertadora”.
“Existe algo dentro de mim que acredita que a dor é um microfone… e a dor não me faz nada bem, a menos que eu a transforme em algo que seja bom”, disse Gaga em 8 de setembro ainda sem revelar o nome da doença.

post_cancelamento_Gaga

Através do seu perfil no Twitter, Lady Gaga confirmou, na quarta-feira, que se trata de fibromialgia. “A doença que tenho e da qual falo em meu documentário é a fibromialgia”, escreveu na rede social. “Pretendo ajudar a conscientizar e a conectar as pessoas que sofrem dessa doença”.

Segundo o reumatologista e professor da Uerj, Geraldo Castelar, em entrevista ao jornal Extra, a doença é uma síndrome crônica caracterizada por dores generalizadas, associadas a sintomas como fadiga, distúrbio do sono e intestino irritável:

— A fibromialgia é um distúrbio de regulação da dor, que não tem causa conhecida. O que entendemos é que os acometidos sentem mais dor que outras pessoas, e que situações de estresse são gatilho para a crise. Por isso, ela é frequentemente associada à ansiedade e à depressão.

Pessoas com instabilidade emocional, explica o médico, tendem a apresentar o quadro com mais frequência. O diagnóstico é clínico, feito a partir da exclusão de outras possíveis causas para a dor generalizada observada por mais de três meses.

O tratamento tem como o objetivo de diminuir os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. De acordo com Jose Eduardo Martinez, presidente da comissão de fibromialgia da Sociedade Brasileira de Reumatologia, o método une medicação e outras terapias:

— É bom que o paciente pratique exercícios físicos, para manter o corpo fortalecido e em movimento, bem como o controle do estresse, que pode ser realizado com acompanhamento psicológico, como a terapia cognitiva comportamental. No lado dos medicamentos, existem alguns que ajudam a modular a dor.

mitos_e_verdades_doenca_gaga

PERGUNTAS E RESPOSTAS COM A SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA

Para esclarecer ainda mais sobre o universo da reumatologia, a reportagem de O Dia Mais mergulhou nas informações entregues pela Sociedade Brasileira de Reumatologia e produziu este box de perguntas e respostas sobre o tema. Confira:

Muitas pessoas e até médicos falam que reumatismo é uma doença de idosos e os seus sintomas mais atinge a eles quando a temperatura diminui . É verdade?

Em primeiro lugar o termo “reumatismo” é um termo popular consagrado para se referir a alguma das muitas doenças que podem ter manifestações no sistema músculo esquelético. Além disso estas doenças podem ocorrer em qualquer faixa etária. O ambiente mais frio apenas aumenta a sensibilidade e a percepção dolorosa levando o paciente a acreditar que a doença “atacou” por causa do frio.

Existe uma “fórmula” para o tratamento de reumatismo?

O termo “reumatismo” é vago. Não existe fómula. Cada doença tem seu esquema terapêutico definido. Esta tal “fórmula” geralmente consiste num coquetel de drogas com efeito paliativo e freqüentemente associado a uma grande quantidade de efeitos colaterais.

Toda dor nas articulações é “reumatismo”?

Dor articular é uma manifestação clínica como outra qualquer. Pode estar presente em diversas patologias sem qualquer relação com “reumatismo”.

Existiu em algum momento existiu uma epidemia de Ler/Dort?

Incontáveis casos identificados como LER/ DORT em um passado recente resultaram na polêmica “epidemia de LER/DORT” no nosso país. LER/DORT não é um diagnóstico etiológico, mas apenas uma denominação genérica. Trata-se de uma sigla cunhada na época sem grande embasamento científico. A simplicidade do seu significado, atualmente questionada pela medicina moderna, facilitou seu uso disseminado, permitindo uma simplificação inadequada da interpretação dos casos.

Quais são as principais doenças reumatológicas?

Existe mais de uma centena de doenças reumáticas. As mais comuns são osteoartrite, também conhecida como artrose, fibromialgia, osteoporose, gota, tendinites e bursites, febre reumática, artrite reumatoide e outras patologias que acometem a coluna vertebral.

FISIOTERAPIA É O TRATAMENTO MAIS INDICADO POR REUMATOLOGISTAS 

Na clinica onde a fisioterapeuta Isidiana Torres atende vários pacientes afastados do trabalho, a reportagem de O Dia Alagoas acompanhou um dia de tratamento. Veja uma sessão realizada com laser. A paciente é a vendedora Cladiciomaria Monteiro, de 39 anos, que frequenta a clínica Fisioteravida, localizada no bairro do Pinheiro, em Maceió, pelo menos duas vezes por semana. Ela faz execícios com aparelhos e se submete ao laser em um tempo máximo de 40 minutos.

O médico reumatologista Dr. Diogo Lucas Pereira fala sobre tratamento em entrevista no Hospital Arthur Ramos, um dos centros médicos mais procurados de Alagoas para tratamento de dores causadas por doenças reumáticas.

Veja gifs que mostram exercícios aplicados em clínicas de fisioterapia para tratamento de doenças reumáticas

gif-2

gif-1

gif-3gif-04

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Comentar usando