Bom Dia!, Quarta-Feira - 15 de Agosto de 2018

 

Dia do Gari e da Margarida é data para homenagear os profissionais da limpeza pública

Secom Arapiraca / 11:09 - 17/05/2018


1 (5)

“Eu amo o meu trabalho”. Na data criada para homenagear o Dia do Gari e da Margarida, 16 de maio, com sorriso, Cecília Tenório Rodrigues, 35, fala orgulhosa da profissão que abraçou há 11 anos. Ela integra a equipe de profissionais que trabalha na limpeza pública de Arapiraca.

A sua rotina diária começa às 4h, horário que acorda. Depois de fazer o almoço, inicia o seu ritual de preparação para o  trabalho de limpeza na avenida Deputada Ceci Cunha, onde varre o meio fio e limpa a grama do canteiro central. Engana-se quem imagina que a Cecília Tenório reclama. Pelo contrário, a sua expressão é de gratidão.

“Acho tudo bom no meu trabalho. Quando eu comecei a função, confesso que ficava envergonhada, mas depois que fui  observando as minhas conquistas, através do meu esforço, só posso comemorar. Sou grata pela oportunidade de ajudar financeiramente o meu marido a criar nossos dois filhos, com um trabalho honesto. E ainda, que ajuda a minha cidade ficar mais bonita”, afirmou a margarida.

O seu horário de trabalho é das 6h às 14h, com intervalo para almoço. O seu ritual de preparação para o trabalho inicia quando veste o seu uniforme de identificação. Ela segue com os cuidados e não se esquece do protetor solar e equipamentos de proteção individual, a exemplo das botinas, luvas e chapéu, fornecidos pela empresa Eleva Ambiental, contratada pela prefeitura de Arapiraca para o serviço.

Quem passa pela avenida no horário citado pode encontrar a margarida carregando o seu carrinho coletor, com vassoura, rastelo e sacos de lixo. Ela conta que, durante os quatro anos que trabalha neste local, já fez muitas amizades.

1 (9)

Cecília Tenório e o amigo de trabalho, Paulo Santos, em sua rotina de limpeza

“No percurso eu encontro muitas pessoas. Posso afirmar que a maioria é gente boa e educada. Claro que sempre existe quem olhe estranho, que não sabe valorizar o profissional. Mas no geral, construímos laços de amizade e acabamos compartilhando alegria e  o desejo de um bom dia de trabalho”, destacou. Cecília Tenório ainda afirma que a sua rotina só lhe faz bem.

A história da margarida Cecília Tenório é uma, entre tantas outras que poderiam ser contadas aqui. Ela representa uma classe de profissionais nem sempre devidamente valorizada pela população. E, mesmo assim, assume o compromisso e se encarrega da missão de  melhorar a qualidade de vida das pessoas e manter a beleza da cidade. Varrendo, coletando, transportando o lixo, cuidando dos jardins e limpando as vias e lugares públicos, garis e margaridas são merecedores de respeito, gratidão, reconhecimento e homenagens.


Comentar usando