Bom Dia!, Sexta-Feira - 14 de Dezembro de 2018

 

Desembargadores mandam para casa PM que assaltava nas horas de folga

Redação / 4:29 - 13/03/2018

Soldado Justo foi preso em janeiro após cometer assaltos a mulheres no Benedito Bentes


Já está em liberdade o soldado Eduardo Uiliams da Silva Justo. Ele havia sido preso em janeiro passado, em flagrante, após cometer assaltos no Benedito Bentes.
O policial militar tinha acabado de sair do plantão que deu de seis horas numa viatura da Força-Tarefa. No caminho para casa, sem farda, e numa motocicleta, ele passou a assaltar as pessoas. O marido de uma das vítimas perseguiu o “assaltante” e o derrubou da motocicleta. Quando os pertences dele foram vasculhados, foram encontrados os documentos e o fardamento do policial militar que era lotado no Batalhão de Policiamento de Eventos (BPE), com sede no Jacintinho. O PM assaltante foi preso pelos colegas de farda, levado para a Central de Flagrantes I, onde foi autuado em flagrante.
O soldado Justo foi levado para o Presídio Militar, no complexo penitenciário na Cidade Universitária, onde ficou alguns dias. Na decisão desta segunda-feira, os desembargadores José Carlos Malta Marques e João Luiz Azevedo Lessa, mais o juiz convocado Maurílio da Silva Ferraz atenderam ao pedido da defesa do PM assaltante. Os magistrados determinaram que o soldado Justo não transite pelo Benedito Bentes, não saia de Maceió sem autorização do Poder Judiciário e que use uma tornozeleira eletrônica.
Mas, na Corregedoria Geral de Polícia Militar, o coronel Reinaldo Cavalcante já adiantou que o soldado Justo não volta para as ruas enquanto o Inquérito Policial Militar (IPM) seja concluído. Aliás, no Alto Comando da PM, há o entendimento de que o soldado Justo será expulso da corporação. Antes desta grave ocorrência, ele já havia respondido por falsificação de atestado médico para faltar ao serviço na corporação. Ou seja: é considerado um policial alterado.


Comentar usando