, Domingo - 27 de Maio de 2018

 

Crianças compram através de aplicativos e dão dor de cabeça às mães

Da Redação / 3:15 - 30/12/2016


Foto: Reprodução/ Facebook

Foto: Reprodução/ Facebook

Dois casos de crianças, aplicativos e compras vieram à tona nos últimos dias e provocaram no público um misto de gargalhadas e espanto. Uma menina nos Estado Unidos e um garotinho brasileiros usaram os aplicativos no celular de suas mães para fazer a festa com brinquedos e sanduíches.

No início do mês de dezembro, a mãe de uma menininha de 6 anos, no Arkansas, Estados Unidos, ficou surpresa ao descobrir que sua filha comprou, sozinha, 250 dólares, cerca de R$ 800, em brinquedos do Pokémon na loja da Amazon. A pequena havia usado o polegar de sua mãe, Bethany Howel, quando adormeceu no sofá,para desbloquear o iPhone e logo efetuou os pedidos.

A pequena Ashlynd não bobeou e foi direto ao ponto: a loja da Amazon. No dia seguinte, Bethany conferiu sua conta e constatou que alguém havia comprado 13 presentes do Pokémon. Mas quando viu que os pedidos foram feitos do endereço da própria casa, logo desconfiou que fosse sua filha.

Para as compras, Ashlynd não precisou de muito esforço. O aplicativo da loja já tinha salvo as informações do cartão de crédito  e na hora de efetuar os pedidos, com os detalhes, como o endereço da entrega, a garotinha usou o recurso de auto-preenchimento. Quando escolheu os brinquedos, bastou clicar nos itens que queria.

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

No Brasil, casos como esse já aconteceram. Um exemplo foi registrado neste mesmo mês. No dia 27, um garotinho de 4 anos de Belém, no Pará, pediu 11 cheese bacons, através de um aplicativo de celular. Sua mãe, Ana Paula Peniche, ficou chocada ao receber a entrega em sua residência.

Em entrevista ao Extra, a mãe do menino, o pequeno Pedro, explicou que ele e o pai brincavam de mandar mensagens antes de ir dormir. Quando foram surpreendidos com os gritos do entregador. Ana Paula conferiu o celular e viu os pedidos feitos. A mãe do menino perguntou se tinha sido ele e com uma simples resposta, respondeu: “Pedi, deu certo?”.

A família teve um prejuízo de R$ 161, que foi pago com uma quantia reserva. Mas milagrosamente, Ana Paula, vendeu os sanduíches para parentes que se solidarizaram com a “dor de cabeça” da mãe e compraram os sanduíches mesmo gelados.

Para servir de alerta para outras mães, Ana Paula publicou a história nas redes sociais.


Comentar usando