, Quarta-Feira - 19 de Setembro de 2018

 

Ciclistas: “Seguro sobre duas rodas”

/ 5:05 - 29/08/2018

Assim como motociclistas e motoristas adquirem seguros para se protegerem da violência e de acidentes, quem pedala também precisa fazer o mesmo investimento


Marcelo Alves e Tayane Barretorepórteres

Em maio desse ano, Laiz da Silva teve a sua bicicleta roubada por dois homens em um trecho da Avenida Dona Constança, na Jatiúca. No mesmo mês, Valter de Barros da Silva Filho foi agredido com uma machadada na cabeça enquanto pedalava na Avenida Paulo Machado, na Cidade Universitária. Os assaltantes queriam levar sua bicicleta, mas foram impedidos por outros ciclistas que estavam com ele no momento. Devido à força da agressão, Valter foi socorrido e levado ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde ficou internado em estado grave. Dias depois foi liberado e se recuperou bem do incidente. A Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) não possui números sobre roubos ou furtos de bicicletas, mas confirma a existência desses crimes.

Além dos casos de violência, outro fator que preocupa quem utiliza esse meio de transporte é a ocorrência de sinistros. Segundo dados do HGE, nos cinco primeiros meses deste ano foram registrados 199 acidentes de trânsito envolvendo ciclistas, uma média de aproximadamente 40 casos por mês. Diante dessas situações, assim como motociclistas e motoristas buscam seguros para se protegerem e amenizarem os prejuízos, quem pedala também sente a necessidade de fazer o mesmo investimento.

ARTE 1

 

Seguro de bicicleta cresce em Alagoas, diz diretor do SINCOR

DJAILDO

Diretor do Sincor-AL, Djaildo Almeida

Como o trânsito não é apenas o único vilão dos ciclistas e onda de assalto virou outro fator de risco para quem pedala, os seguros para bicicleta viraram necessidade para garantir a tranquilidade de quem usa este tipo de meio de transporte, uma vez que há bikes que custam até mais R$ 30 mil, valor referente a um carro popular. De acordo com odiretor da Jaraguá Corretora de Seguros e do Sindicato dos Corretores de Alagoas (SINCOR/AL), Djaildo Almeida, a procura por este investimento está crescendo no Estado e já há três companhias ofertando o serviço.

“Atualmente há três companhias, mas somente a Argos Seguros, tem coberturas mais amplas, e a Porto e Allians, as bikes são garantidas junto com o seguro residencial”, disse o diretor do SINCOR/AL. “A procura pelo seguro de bicicleta é alto, mas há ainda grupos de ciclistas que preferem se arriscar e não procurar o seguro”, reconhece Djaildo Almeida.

 De acordo com o corretor, podem ser seguradas, bicicletas novas ou seminovas entre R$ 2,5 mil até R$ 20 mil. “Qualquer pessoa física maior de idade, acima dos dezoito anos, pode aderir ao seguro. É preciso ter em mãos a nota fiscal da bicicleta”, disse. Djaildo Almeida explicou também que o seguro cobre roubo ou furtos, responsabilidade civil e acidente no transporte da bike. “O seguro só não cobre o furto simples”, ressaltou.

O seguro bicicleta possui franquia com cobertura básica. “Podem ser contratadas as diversas opções de valores a partir de dois mil reais até setenta e cinco mil reais. Para a cobertura de responsabilidade civil, há um limite de cem por cento do valor da bicicleta. A cobertura é de âmbito nacional”, disse.

Por dia, mais de um ciclista sofre acidente em Alagoas

A quantidade de acidentes envolvendo ciclistas é alarmante. Conforme os números passados pela assessoriaARTE 2  de comunicação do HGE, 199 casos foram protocolados nos cinco primeiros meses de 2018. Média de 39,8 por cada mês – ou mais de um acidente por dia. Para se ter ideia da situação, durante todo o ano de 2017 foram feitos 514 registros, o equivalente a 42,83 casos em cada um dos 12 meses.

A soma desse tipo de ocorrência dos últimos três anos até maio de 2018 é superior aos casos de capotamento. Desde 2015 até o quinto mês do ano corrente, o HGE registrou 1.990 acidentes com pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte. Nesse mesmo período, o Hospital registrou 1.088 situações de veículos capotados.

 

“Fiz o seguro como investimento para me prevenir”, diz cicloturista

O cicloturista Valdemir Barbosa é um dos coordenadores do Circuito Integração de Ciclismo de Aventura, cujas edições reúnem mais de 500 ciclistas de todo o Estado de Alagoas. Preocupado com a violência, ele investiu na contratação do seguro para sua bicicleta que, segundo ele, está avaliada em cerca de R$9 mil. “Minha bike custa nove mil reais porque é apropriada para passeios turísticos em trilhas, que é um lazer para mim nos finais de semana”, disse Valdemir Barbosa.

VALDEMIR BABOSA - CICLISTA CIRCUITO

Valdemir Barbosa (camisa azul) durante clicloturismo.

Valdemir Barbosa esclareceu que as bicicletas feitas para o cicloturismo possuem peças e assessórios mais resistentes e chamam atenção de criminosos em razão do seu custo. “Sabendo que minha bicicleta é alvo de bandidos por conta do valor, eu resolvi andar protegido e fiz um investimento, aderindo ao seguro bicicleta”, comentou.

 

Ciclista segurado orienta colegas a fazer o mesmo

EDVÂNIO

Edvânio Pereira durante passeio ciclístico

“Aderi ao seguro para pedalar sossegado. A prevenção é fundamental”. A afirmação é do ciclista Edvânio Pereira da Silva ao explicar o motivo de ter contratado o seguro. Ele contou que só teve conhecimento da existência do serviço quando realizou a compra de sua bicicleta na capital do estado de Sergipe: “Quando viajei para Aracaju, entrei na loja Magazine, especializada em bikes de aventura, e resolvi comprar uma bicicleta. Quando fiz a escolha, um rapaz me falou sobre a importância de também adquirir o seguro”.

Edvânio Pereira confessou que faz questão de informar aos seus amigos ciclistas sobre a importância do seguro diante dos casos de roubos. “A violência e onda de assalto que atinge os ciclistas viraram uma preocupação. Por conta disso, eu recomendo que os ciclistas, principalmente os que têm bicicleta de aventura que custam mais de cinco mil reais, façam o seguro para se protegerem e percebam a importância do investimento”, reforçou o ciclista.

 

Roubo de bicicleta em plena luz do dia

No dia 27 de maio de 2018, Laiz da Silva, citada no início dessa reportagem, teve a sua bicicleta roubada por dois homens enquanto pedalava por um trecho da Avenida Dona Constança, na Jatiúca. A reportagem entrou em contato com a vítima, mas, devido ao trauma, ela preferiu não contar os detalhes do incidente. Apenas confirmou ter recuperado a bicicleta no mesmo dia, após uma mobilização feita pelas redes sociais. Confira abaixo o vídeo do momento do assalto:

 

 

Bandido ataca vítima com machado para roubar bike

Dia 14 de maio deste ano, Valter de Barros da Silva Filho é agredido por bandidos com uma machadada na cabeça quando pedalava na Avenida Paulo Machado, na Cidade Universitária. Os assaltantes queriam levar a bike dele, mas foram impedidos por outros ciclistas que estavam junto a Valter Filho, que está internado devido à força da agressão. A vítima foi socorrida, levada ao HGE, recebeu os primeiros socorros, ficou internada em estado grave e após dias no hospital foi liberada e se recupera bem da machadada.


Comentar usando