Boa Tarde!, Sexta-Feira - 25 de Maio de 2018

 

Bomba, só de São João

Redação O DIA Alagoas / 10:06 - 22/04/2018


A habilidade do brasileiro em fazer piada da situação está sendo equiparada à capacidade de deturpar notícias e fatos concretos para atacar pessoas ou grupos opostos. A cada semana parece que se atinge mais um nível nesse caminho ladeira abaixo, com ataque dos dois lados. A bola da vez está na confusão gerada pelas senadoras Gleisi Hoffmann e Ana Amélia, confundindo Al Jazeera com Al Qaeda e sobrando – nos memes da internet – até para Al Lagoas.

Foi má fé, pura e simplesmente. A senadora Ana Amélia é jornalista e fez carreira na área antes do mandato, sabe que a Al Jazeera é o veículo de comunicação mais importante do Oriente Médio. Não se pode dizer que sua acusação foi feita por desconhecimento. Ela disse claramente que esperava que a fala de Gleisi não fosse para chamar o Exército Islâmico ao Brasil para defender o PT. Uma declaração que seria motivo apenas de piada ganhou dimensões estratosféricas dentro desse mundo “quem não está comigo está contra mim” que o país virou desde a campanha de 2014.

Daí em diante a coisa só aumentou, com outros parlamentares acusando Gleisi de sabotar a Lei de Segurança Nacional, de chamar terroristas para invadir o Brasil, de “mandar mensagens subliminares” a extremistas que deturpam a religião do Islã para justificar seus atos. Além da verdade e do bom senso, os muçulmanos que vivem no país foram atingidos por essa insanidade – que é crime inafiançável de preconceito, assim como o racismo.

E como se não fosse suficiente, a Procuradoria Geral da República, a famosa PGR, resolve que vai investigar a entrevista de Gleisi Hoffmann para saber se ela não cometeu mesmo crime contra a segurança nacional. Do lugar de onde se espera que a razão prevaleça, vem mais um capítulo nessa insanidade.

O que isso gerou? Mais munição para a esquerda aumentar suas campanhas. Mobilizações estas que possuem motivos justos, porém não podem pecar pelo excesso. Depois de uma semana pedindo alterações de nomes para “Gleisi Lula Hoffmann” e afins, e alardear que Lula está preso em uma solitária, é preciso fazer autocrítica e também ponderar o que se diz. Sim, o ex-presidente é um preso político e está isolado, porém suas condições de encarceramento são melhores que as moradias de muitos brasileiros.

Já estamos em um cenário de histeria coletiva – o Brasil e o mundo – com “fake news” a torto e a direito. É preciso bom senso dos dois lados para sair desse estado e as lideranças precisam dar o exemplo. Deixemos as bombas apenas para junho, na festa de São João.


Comentar usando