, Terça-Feira - 11 de Dezembro de 2018

 

Aumento de passagem em Arapiraca é anunciado mesmo sem aprovação da Prefeitura

Mariana Lima / 2:29 - 21/01/2016

Usuários dizem que aumento da tarifa não reflete na qualidade dos ônibus ou do serviço


Um papel colado nos ônibus da RM Viação, em Arapiraca, comunicou aos passageiros, na manhã desta quinta (21), que a partir de 02 de fevereiro as tarifas urbana e rural sofreriam reajustes de 0,30 e 0,50 centavos, respectivamente. Dentre todas as reclamações que a medida provocou, uma delas se destaca: a da Prefeitura de Arapiraca, pela divulgação de um reajuste ainda não aprovado.

De acordo com a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) da cidade, o reajuste foi aprovado pelo Conselho Municipal de Transporte para todas as empresas que atuam em Arapiraca, porém ainda não foi autorizado pela prefeita Célia Rocha. Por essa razão, a mudança na tarifa não poderia ser divulgada até a certeza oficial do valor aumento.

O empresário da RM Viação foi chamado para comparecer na sede da SMTT até amanhã, quarta (22) e dar explicações pela divulgação não aprovada. Enquanto isso, usuários do transporte coletivo não entendem para que aumentar o preço da tarifa se isso não reflete no serviço ofertado.

rm arapiraca“Eu acho absurdo porque a gente vê que o transporte é precário. Os ônibus são velhos, não obedecem a horários e os itinerários não são organizados, mudam de um dia para outro sem aviso e a gente fica na esquina, parado, esperando se vai passar o ônibus na outra rua, porque também não temos pontos de ônibus fixos nos bairros”, comenta Raysonara Medeiros, estudante do 5º período de Arquitetura, usuária da RM Viação.

 

Essa chega a ser uma questão interessante sobre o sistema de transporte arapiraquense. Os ônibus partem do Centro da cidade para algum bairro distante ou zona rural, mas saindo de um ponto inicial até o ponto final. Alguns pontos são determinados, com estrutura de abrigo ou placa indicativa, mas em geral basta fazer sinal ou pedir para descer que o motorista atende. Em tese.

“Tem dois ônibus do Centro para a Ufal, que é o da Ufal mesmo e fica por lá, e o da Lagoa do Rancho, que vai para a zona rural, mais além. Várias vezes o ônibus que vem da Lagoa do Rancho não pára na Ufal para não ter o trabalho de pegar os estudantes”, conta Paulo Vitor Gomes, colega de curso de Raysonara.

Os estudantes reclamaram à SMTT e viram a situação melhorar um pouco, porém estão preocupados com o aumento iminente das passagens por outro fator. Trinta centavos por passagem parece pouco, afinal o aumento de 0,60 por dia de passagem (ida e volta) resulta em meros três reais por semana. A questão é que uma viagem para a Ufal representa dois ônibus na ida e dois na volta para a maioria dos universitários, fazendo com que o aumento tenha um impacto especial.

“Não parece muito, mas quando colocamos no papel vemos que vai fazer a diferença no fim do mês. Mesmo com a meia passagem, que é o meu caso, é um aumento que causa impacto no orçamento da família, até porque não percebemos nenhuma mudança e nenhuma melhoria do transporte”, afirmou Raysonara.

Estudo para licitação

A reclamação dos usuários arapiraquenses não se afasta muito da dos maceioenses: falta de qualidade do serviço ofertado, falta de segurança nos ônibus, falta de acessibilidade para cadeirantes e pessoas com deficiência, não cumprimento de horários das viagens, motoristas que queimam pontos, ônibus sujos e velhos.

“Já andei em ônibus da RM Viação que o chão parecia que ia cair. Os ônibus são bem antigos e não têm horários, fora que é bem normal ter assaltos, então tenho pegar ônibus. Prefiro pagar um táxi ou um moto táxi”, conta o bancário Bruno Alves.

Pelo lado da Prefeitura, a Assessoria de Comunicação da SMTT reconheceu que o transporte é precário, mas garantiu que o município cobra das empresas o uso de ônibus melhores e com acessibilidade, “algo que nem a capital possui, assim como outras capitais brasileiras, cujos ônibus não contam com elevador para cadeira de rodas e equipamentos do tipo”, disse o assessor Fábio Lopes.

Entre as melhorias, por hora, a SMTT reforma abrigos de ônibus por toda a cidade e a Comissão de Licitação da Prefeitura de Arapiraca já iniciou estudos para abrir processo licitatório para o transporte público da cidade. De acordo com Fábio Lopes, já foi identificado o interesse até de empresas de Curitiba, no Paraná, em operar o transporte coletivo no município.

Por enquanto, aos usuários em Arapiraca cabe apenas esperar por essa promessa de dias melhores e preparar-se para o aumento das tarifas que, sim, vai vir.


Comentar usando