, Segunda-Feira - 23 de Abril de 2018

 

Artesãos comercializam mais de R$ 70 mil no Festival Alagoas Feita à Mão

/ 10:54 - 27/03/2018

Em cinco dias de evento, 40 profissionais venderam 1.412 peças


O artesanato e a arte popular figuram, cada vez mais, como uma importante geração de renda à população alagoana. Prova disso, o Festival Alagoas Feita à Mão, finalizado no último domingo (25), no Parque Shopping, comercializou exatamente R$ 73.676,48 mil em vendas durante o evento.

A iniciativa, antes conhecida como Semana do Artesão, ganhou outro nome e chegou à sua terceira edição em novo formato para estimular a atividade no Estado e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico desses profissionais. Nesta edição, o Festival comercializou um total de 1.412 peças de variados tamanho.

(Fotos: Kaio Fragoso)

Conforme o secretário de Estado e Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, o sucesso no número de vendas evidencia como as ações do Governo de Alagoas, voltadas para o fomento do artesanato, têm resultado em consequências positivas para esses profissionais.

“O sucesso do evento mostra como o poder público tem contribuído para o fortalecimento do artesanato como atividade econômica no Estado. Em Alagoas, 60% dos quase 14 mil artesãos cadastrados no Programa de Artesanato Brasileiro (PAB), vivem exclusivamente do ofício, o que mostra a força da atividade econômica no Estado”, pontua Rafael, acrescentando que essa é só mais uma da série de ações voltadas para o setor. “Ainda realizamos cadastro junto ao PAB, que garante a isenção do ICMS em notas avulsas, fomentando ainda mais esta atividade que é fonte de renda para centenas de alagoanos”, complementa.

Para a artesã do grupo Pontos e Contos da cidade de Penedo, Maria de Lourdes, 45 anos, além de promover as vendas, o Festival é uma forma de reconhecer e valorizar o que é da terra.

“Há onze anos que já trabalho com bordado. Está sendo maravilhoso participar do Festival, que nesta edição acontece no shopping, promovendo a comercialização. As pessoas, além de comprarem, encomendam, nos elogiam e conhecem um pedaço do artesanato de Penedo”, afirma a artesã.

Já para a empresária Eneide Sá, 58 anos, também participante do Festival, cada vez mais, os consumidores estão procurando o artesanato genuinamente alagoano por suas características.

“Muitos profissionais não têm o espaço para comercializar. E, essas feiras organizadas pela Sedetur e Sebrae são ótimas e dão a oportunidade de apresentar o nosso trabalho ao público alagoano, que vem valorizando cada vez mais as características únicas de cada artesão”, opina Eneide.

Expedição

 Outra ação encabeçada por meio da Sedetur, que obteve sucesso em vendas, foi a expedição da Associação As Cabras em Alagoas. Entre os dias 13 e 19 de março, um grupo de lojistas de diferentes estados, realizaram uma caravana em busca de garimpar peças do artesanato e arte popular alagoana. Durante cinco dias, o grupo conheceu o artesanato de 16 municípios, comprando um total estimado em R$ 100 mil.


Comentar usando