, Quinta-Feira - 15 de Novembro de 2018

 

Alunos do Sesi e Senai levam inovações à Olimpíada do Conhecimento 2018

Assessoria / 2:00 - 03/07/2018

O evento mostrará inovações que prometem melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos e revolucionar a educação


Neste ano, a Olimpíada do Conhecimento trará a experiência de uma Cidade Inteligente, com mostra de tecnologias de ponta, inovações e tendências que poderão melhorar o nosso estilo de vida (Assessoria)

Neste ano, a Olimpíada do Conhecimento trará a experiência de uma Cidade Inteligente, com mostra de tecnologias de ponta, inovações e tendências que poderão melhorar o nosso estilo de vida (Assessoria)

Estudantes da rede Sesi/Senai de Alagoas vão participar, com projetos inovadores, da 10ª edição da Olimpíada do Conhecimento, que acontece de quinta-feira (5) até domingo (8) próximos, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília-DF.

O evento, promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), mostrará inovações que prometem melhorar a qualidade de vida nos centros urbanos e revolucionar a educação. Em uma área de 25 mil metros quadrados, a OC2018 deve atrair cerca de 40 mil pessoas entre representantes de empresas, do governo e estudantes. A entrada é gratuita.

Neste ano, a Olimpíada do Conhecimento trará a experiência de uma Cidade Inteligente, com mostra de tecnologias de ponta, inovações e tendências que poderão melhorar o nosso estilo de vida. Uma delas é a Lixa Sugadora Magnética (Lisuma), criada por estudantes da Escola Sesi Industrial Abelardo Lopes (Cambona).

Os alunos Leonardo Rafael, Joyce Sapucaia e o professor de Ciências Walber Aleluia farão demonstrações do equipamento, que foi um dos destaques durante mostra na edição 2016 da OC, também realizada em Brasília. A Lisuma, que despertou o interesse da multinacional Bosch, aspira os resíduos e deposita-os num reservatório.

O pó pode ser reutilizado como principal elemento para a fabricação de tijolos decorativos e papel reciclável. Além de uma destinação sustentável para os resíduos, a Lisuma ajuda a prevenir problemas de saúde com a inalação do pó gerado ao lixar superfícies.

Alagoas também enviará duas equipes de robótica da Escola Sesi/Senai de Maceió ao evento. A unidade localizada no Benedito Bentes terá, ainda, dois projetos na Mostra de Ciências e Engenharia, onde 48 equipes de estudantes da Educação Básica Articulada com a Educação Profissional (Ebep) do Sesi e do Senai apresentarão projetos de inovação científica e tecnológica para solucionar problemas reais.

Um deles é a Suruneira, uma peneira ergonômica, construída a partir de partes recicladas de bicicletas, que visa a colaborar com a saúde e segurança das pessoas que trabalham com a pré-lavagem do sururu.

A ideia é dos alunos dos cursos técnicos de Administração Talles Hyan da Silva Luna dos Santos (2º ano) e Ana Beatriz de Ataíde Cavalcante Lins (1º ano) e de Informática para a Internet, Maria Cecília Gouveia Rodrigues (2º ano). A orientação é do professor Jonatha de Albuquerque Vieira.

O outro projeto inovador é o Ecovitreo, um esmalte produzido a partir do vidro reciclado. O objetivo é utilizá-lo na indústria ceramista, no processo de esmaltação, em peças cerâmicas e de porcelanato. A ideia é das alunas Júllia Késsia Oliveira do Nascimento, Jhuly Kamille Dias de Sales e Kauany Hellen Alves, orientadas pelo instrutor do curso técnico em Edificações Rafael de Freitas Monteiro.

Na Olimpíada do Conhecimento, quatro estudantes da Escola Sesi/Senai de Maceió vão participar do Grand Prix de Inovação. Nele, quatro empresas – Dassault Systemes, Fiat Chrysler, BRF Brasil Food Ambev – proporão desafios às equipes. Eles terão que desenvolver, em 44 horas, soluções para os desafios propostos por meio de método que usa inovação aberta e criatividade, empreendedorismo e redes colaborativas.

Outra etapa da OC2018 é a seletiva para a Worldskills 2019, que acontece no próximo ano em Kazan (Rússia). Até o momento, o aluno Douglas da Silva Santos conquistou ouro, na ocupação Confeitaria, durante a seletiva para a maior competição de educação profissional do mundo.

Ele terá que manter o índice em todos os simulados que serão realizados durante o ano para se confirmar como um dos representantes do Brasil no evento. Outros alagoanos estão na batalha para se classificar nas seletivas, que acontecem em diversos estados brasileiros.

 

 


Comentar usando