Bom Dia!, Segunda-Feira - 19 de Novembro de 2018

 

Alunos da Rede Sesi/Senai mostram criação e se destacam em evento

Assessoria / 1:37 - 20/08/2018

Com RamiCoco, alunos conquistam o primeiro lugar na categoria Sustentabilidade, do Prêmio Miniempresa Brasil 2018


Alunos da Rede Sesi/Senai mostram criação e se destacam em evento no RS (Assessoria)

Alunos da Rede Sesi/Senai mostram criação e se destacam em evento no RS (Assessoria)

Um produto criado por alunos da Escola Sesi/Senai de Maceió, o RamiCoco ganhou o primeiro lugar, na categoria Sustentabilidade, do Prêmio Miniempresa Brasil 2018, competição promovida em Porto Alegre (RS) pela Jr Achievement, com o patrocínio da Dell. No geral, os alagoanos ficaram em 3º lugar entre as 15 miniempresas de todo o Brasil selecionadas para a grande final, realizada no Shopping Iguatemi, de 17 a 19 últimos.

Durante a competição, cada miniempresa pôde vender e expor seus produtos e ideias em uma feira. Foram expostas ideias de jovens que participaram do programa Miniempresa e que possuem os melhores produtos e propostas.

“Esse resultado não é uma surpresa. É o que a gente, de fato, espera”, afirma Clarisse Araújo, gerente executiva de Educação do Sesi/Senai em Alagoas, ao explicar que as escolas da Rede Sesi/Senai ensinam o empreendedorismo desde cedo. “A gente estimula os jovens a desenvolverem novas ideias de negócios e o resultado fica evidente com os prêmios”, acrescenta.

Segundo ela, o excelente resultado alcançado em Porto Alegre pelo RamiCoco mostra que o ensino é completo. “Nós ficamos muito felizes ao ver que o projeto dos nossos estudantes possui excelência não somente na questão do empreendedorismo, mas também na sustentabilidade”, declarou.

INOVAÇÃO – O RamiCoco é um artefato produzido a partir da casca do coco. Ele já é utilizado por um restaurante de Maceió que serve comida natural, mas pode ter outras utilidades como decoração. Também segue o princípio da sustentabilidade, por utilizar uma matéria-prima abundante na cidade.

“O coco é, simplesmente, jogado fora e toneladas e toneladas vão para o lixo todo dia, tanto no Mercado da Produção como nas feiras de Maceió. Então, a gente viu a oportunidade de retirá-lo do lixo e trazer para o nosso dia a dia como algo que a gente possa utilizar sempre e que tenha uma característica a mais na nossa cozinha”, destacou a aluna Ravanna Evellyn, 16 anos, do 3º ano do curso de Logística.


Comentar usando