Aécio Neves pode ser preso ainda hoje

Redação com agências / 11:40 - 18/05/2017

Fachin proíbe Aécio de se ausentar do país e manda senador entregar passaporte


Após o colunista Lauro Jardim expor o conteúdo da delação da JBS, desta vez é outro colunista que atiça as águas tumultuadas da política brasileira. A coluna Radar Online, da Revista Veja, afirmou que o senador Aécio Neves será preso ainda nesta quinta-feira (18), segundo fontes ligadas à Operação Lava Jato.

De acordo com a informação, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve analisar o pedido de prisão feito pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, durante a sessão desta tarde. “Se julgar procedente, o tucano terá o mesmo destino de sua irmã, Andrea Neves, presa hoje cedo pela Polícia Federal”, diz a coluna.

O STF já determinou, no início do dia, o afastamento de Aécio e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) de seus mandatos. Segundo informações do Broadcast Político, blog do Grupo Estado, no documento que determinou esse afastamento, Fachin impôs duas medidas cautelares ao tucano: a proibição de contatar qualquer outro investigado ou réu no conjunto de fatos revelados na delação da JBS; e a proibição de se ausentar do País, devendo entregar seu passaporte.

O ministro determinou que os mandados ocorressem com a “máxima discrição” e com a “menor ostensividade”. Fachin também pediu que o plenário do STF analise “no tempo mais breve possível” a deliberação da matéria.

Quebra do sigilo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já pediu o levantamento do sigilo sobre as provas colhidas no âmbito da delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F (que controla o frigorífico JBS), segundo informou o jornal Valor Econômico.

O pedido foi feito ao ministro do STF Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte. Fachin, entretanto, não tem prazo para analisar a solicitação.

Quando o sigilo cair, se tornará pública a suposta gravação na qual o presidente Michel Temer incentivou o pagamento de uma mesada para manter em silêncio o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Operação em 3 estados

Agentes deixam a casa do senador Aécio Neves no Lago Sul, em Brasília, após cumprir mandados de busca e apreensão (Foto: Dida Sampaio/Estadão)

Agentes deixam a casa do senador Aécio Neves no Lago Sul, em Brasília, após cumprir mandados de busca e apreensão (Foto: Dida Sampaio/Estadão)

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal já cumpriam mandado de busca e apreensão nos apartamentos do senador, de sua irmã Andrea Neves e de Altair Alves Pinto, conhecido por ser o homem de confiança do deputado Eduardo Cunha.

Andrea Neves foi presa em Belo Horizonte, em um apartamento da família, após não ser encontrada no Rio de Janeiro, seu endereço oficial. A sua situação se complicou pelo fato de que PF e MPF terem sido comunicadas que ela estaria fora do país, com a filha, após não ser encontrada no apartamento em Copacabana, mas apenas horas depois ela foi encontrada e detida em Minas Gerais.

Desde às 6h da manhã, cinco carros da PF estavam postos na entrada do Congresso, em Brasília. No local, as buscas foram feitas nos gabinetes de Aécio, do também senador Zeze Perrella (PMDB-MG) e de Rocha Loures. As buscas foram ainda ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde atua o procurador da República preso, Angelo Goulart Vilela.


Comentar usando