Ação que agiliza processos de violência doméstica termina amanhã em Maceió

Da assessoria / 1:34 - 18/08/2016


adb7d67b14182ce12374747f1d3c3ed7

À direita, juiz Paulo Zacarias, titular do Juizado da Mulher em Maceió (Foto: Caio Loureiro)

A 5ª Semana da Justiça Pela Paz em Casa será concluída nesta sexta-feira (19). A ação promovida pelo Poder Judiciário de Alagoas tem agilizado processos relativos à violência doméstica e levado conscientização sobre o tema para a sociedade.

No 4º Juizado Especial de Maceió, de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, foram realizadas 45 audiências até a quarta-feira (17). Mais 40 audiências ainda estão pautadas para esta quinta e sexta-feira. No Juizado da Mulher de Arapiraca, a pauta já foi concluída. 45 audiências foram feitas, das 46 que haviam sido agendadas. No total, já foram 90.

Uma das mulheres que participaram de audiência na terça-feira (16), em Arapiraca, contou que a Lei Maria da Penha foi o que precisou para fazer o marido repensar seu comportamento, que ficava violento quando bebia. “Depois que ele passou um mês e oito dias presos, não me agrediu mais”, disse a vítima, de 27 anos, residente em Craíbas (AL). “E se voltar [a agredir], a lei está aí”.

A violência doméstica exercida contra a mulher também foi tema de palestra proferida na quarta-feira pela psicóloga Poliana Amorim, na Escola Municipal Jaime Miranda, no bairro Santa Lúcia, em Maceió. A ação foi promovida pela Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal) e contemplou cerca de 200 estudantes de 13 a 18 anos..

Conscientização

À frente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, a desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento destacou, na segunda-feira, a importância da campanha. “Em Alagoas, apesar de existir dificuldade na aplicabilidade da Lei Maria da Penha, o Judiciário vem trabalhando para que essas mulheres criem uma maior consciência e denunciem”.

A juíza Isabelle Sampaio, titular do Juizado de Arapiraca, avalia além da agilização de processos, a ação tem uma boa repercussão na comunidade. “A gente vê que as rádios divulgam, os sites divulgam, e tem um impacto muito bom inclusive no desestímulo da prática de violência doméstica contra as mulheres. Quando eles sentem a presença da Justiça, e sentem que pode haver uma repressão, eles pensam duas vezes”.

Para o juiz Paulo Zacarias da Silva, titular do Juizado de Maceió, “A Justiça está cumprindo o seu papel de levar o direito a cada cidadão”.


Comentar usando