, Terça-Feira - 11 de Dezembro de 2018

 

Caso Giovanna Tenório: acusado de ser autor material vai a júri nesta quinta (28)

Assessoria / 10:53 - 28/09/2017

Réu será julgado por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e furto simples; julgamento será conduzido pelo juiz John Silas da Silva


juriA 8ª Vara Criminal da Capital leva a júri Luiz Alberto Bernadino da Silva, acusado de matar a estudante Giovanna Tenório Andrade em junho de 2011. O julgamento está sendo conduzido pelo juiz John Silas da Silva, no Fórum do Barro Duro, e começou por volta de 9h20, nesta quinta-feira (28). O réu é acusado de ser o autor material do crime e será julgado por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e furto simples.

A estudante desapareceu no dia dois de junho de 2011, por volta das 12h30, nas proximidades da Faculdade de Fisioterapia do Cesmac, localizada no bairro do Farol, quando estava se deslocando para o restaurante Salude, próximo ao colégio Madalena Sofia, no bairro do Farol. O corpo de Giovanna foi encontrado dias depois, em um canavial na Fazenda Urucum, situada entre os municípios de Rio Largo e Messias.

De acordo com o processo, no dia do desaparecimento, a vítima usava um celular Nokia de cor rosa, que teria recebido a última ligação às 12h06 e só voltou a ser acionado no dia seguinte ao seu desaparecimento, às 9h40, utilizando outro número, pertencente a esposa do réu, que teria entregue o chip para que seu companheiro usasse.

Outro fato que consta nos autos, é que, na época, o réu morava na rua Íris Alagoense, local pelo qual a vítima obrigatoriamente passaria para chegar ao restaurante Salude, onde encontraria um amigo. No caminho, ela teria sido interceptada e imobilizada, inviabilizando qualquer chance de defesa. As provas periciais comprovam que Giovanna teria sido morta por estrangulamento e ainda teria sofrido diversas lesões provocadas por instrumento contundente enquanto estava viva.


Comentar usando